The Who: 50 anos de A Quick One

quick one

(lançado em 9 de dezembro de 1966)

Após um primeiro álbum com influências de R&B, chegava a hora do The Who desenvolver sua identidade. A primeira parte da experiência consistia em fazer com que todos os membros da banda compusessem material. Como resultado, temos aqui o disco mais democrático da carreira do quarteto, antes que Pete Townshend tomasse conta com sua mente brilhante. A Quick One se chamou Happy Jack nos Estados Unidos, onde o single de mesmo nome foi incluído no tracklist final. O grande destaque vai para a faixa-título (ampliada), um épico de nove minutos, dividido em seis etapas. Narrando uma história de infidelidade e reconciliação, ela antecipa o que seria ampliado e melhor trabalhado nas futuras óperas roqueiras Tommy e Quadrophenia, além de mostrar que o grupo estava pronto para se colocar na vanguarda do estilo.

Outro momento de destaque está em “Boris The Spider”. Escrita pelo baixista Pete Townshend, após uma bebedeira com Bill Wyman, dos Rolling Stones, foi a primeira música ligada ao Rock a contar com um vocal gutural, protagonizado por seu escritor. Há até quem a classifique como um proto-Death Metal, dada a sua estrutura. O único cover registrado foi “Heat Wave”, parceria de Lamont Dozier com os irmãos Brian e Eddie Holland. Ela não aparece na versão americana, sendo substituída pela já citada “Happy Jack”. Em “Cobwebs And Strange”, a curiosidade fica por conta do fato de os músicos terem inserido vários instrumentos de sopro, tocado pelos próprios. A Quick One chegou ao quarto lugar da parada britânica. Ainda mostrava um The Who em evolução, mas as perspectivas iam se desenhando empolgantes.

Roger Daltrey (vocais)
Pete Townshend (guitarra)
John Entwistle (baixo)
Keith Moon (bateria)

01. Run Run Run
02. Boris The Spider
03. I Need You
04. Whiskey Man
05. Heat Wave
06. Cobwebs And Strange
07. Don’t Look Away
08. See My Way
09. So Sad About Us
10. A Quick One, While He’s Away

quick one

Esse post foi publicado em * Resenha e marcado por João Renato Alves. Guardar link permanente.