Pretty Maids: 30 anos de Future World

future world

(lançado em 20 de abril de 1987)

Não há grupo que tenha conseguido fazer a mistura de Heavy Metal e Hard Rock de maneira tão perfeita como os dinamarqueses do Pretty Maids. Talvez justamente por essa caminhada na linha fina entre um gênero e outro, os caras não tenham feito grande sucesso. Nenhum trabalho virou referência tão grande na discografia do grupo quanto o estupendo Future World. Lançado em 1987, teve grande amparo de sua gravadora à época, a Warner Brothers Records, satisfeita com a boa repercussão do debut, Red, Hot & Heavy. O investimento foi tão forte, que chamaram dois feras para produção e mixagem, os renomados Eddie Kramer (KISS, Led Zeppelin, Jimi Hendrix e incontáveis outras estrelas) e Flemming Rasmussen (Metallica). Nos backing vocals, outra participação especial de peso, ninguém menos que o lendário Graham Bonnet (Rainbow, Alcatrazz, MSG).

A faixa-título é um soco no estômago, com guitarras furiosas e teclados marcantes. Atentem-se à performance de Ronnie Atkins nos vocais e percebam quem foi a maior inspiração para Hansi Kürsch. “We Came To Rock” é aquele Heavy de arena típico, com refrão para ser entoado pela massa. Na sequência, o grande hit “Love Games”, a mistura perfeita de teclados AOR e pegada metálica. A climática “Yellow Rain” e a certeira “Loud N’ Proud” mantém o nível no máximo, abrindo espaço para o Hard Rock simples e eficiente de “Rodeo”, mais uma daquelas melodias que fazem a vida valer a pena. Para dar uma injeção ainda maior de adrenalina, a porrada absurda de “Needles In The Dark” convida o ouvinte a bater cabeça e empunhar sua air-guitar em um típico exemplar do Metal oitentista.

A semibalada “Eye Of The Storm” é um show de execução instrumental. Para encerrar em uma vibração festeira, a descontraída “Long Way To Go”. As vendas logo atingiram a casa do milhão, fazendo com que a banda seja chamada para abrir a turnê do Deep Purple pelos Estados Unidos. Logo após, embarcam em um giro europeu, dessa vez como headliners. Aliás, a amizade com os membros do Purple perdurou, com Roger Glover produzindo o trabalho seguinte do Pretty Maids, Jump The Gun, além de Ian Gillan participar do EP natalino “In Santa’s Claws”, ambos de 1990. Future World é indispensável na coleção de qualquer pessoa com bom gosto musical. A prova de que se pode misturar elementos mais acessíveis com o peso e fazer um som que agrade a todos sem precisar apelar.

Ronnie Atkins (vocais)
Ken Hammer (guitarra)
Allan DeLong (baixo)
Phil Moorhead (bateria)
Alan Owen (teclados)

01. Future World
02. We Came To Rock
03. Love Games
04. Yellow Rain
05. Loud N’ Proud
06. Rodeo
07. Neddles In The Dark
08. Eye Of The Storm
09. Long Way To Go

future world

Resenha: Pretty Maids – Kingmaker [2016]

kingmaker

É difícil o Pretty Maids fazer um álbum realmente ruim. Lógico que alguns trabalhos ficam abaixo de outros. Porém, ruim mesmo, sem qualquer qualidade, acredito nunca ter acontecido em sua história que ultrapassa três décadas. A mistura de Heavy Metal, Hard Rock e AOR dos dinamarqueses é eficiente sempre que exigida. Há discos que são realmente melhores, como Future World, Spooked ou Pandemonium, assim como escorregadas, especialmente em Planet Panic. Kingmaker não chega ao ponto de indiscutível, mas possui valor inegável no que se propõe. As gravações ocorreram em meio a mais uma mudança na formação, após a saída do tecladista Morten Sandager. Kim Olesen (Anubis Gate) assumiu a função para o registro, com Chris Laney se tornando membro efetivo logo após o lançamento.

A abertura, com “When God Took A Day Off” traz a típica combinação que caracterizou o grupo, com Ronnie Atkins mostrando que ainda possui a capacidade que muitos colegas de geração perderam na interpretação. Vale ainda citar a pesada faixa-título, “King Of The Right Here And Now” e “Civilized Monsters”. O lado mais melódico se manifesta em “Face The World”, a grudenta “Bull’s Eye” e na balada “Last Beauty On Earth” – área em que a banda sempre se deu bem, escrevendo temas memoráveis. Muitos trabalhos mais badalados farão com que Kingmaker seja esquecido nas prateleiras. Porém, mais uma vez, o Pretty Maids se mostra digno de todos os elogios. Quem já conhece, não irá se decepcionar.

Nota 8,5

Ronnie Atkins (vocais)
Ken Hammer (guitarra)
Rene Shades (baixo)
Allan Tschicaja (bateria)

Convidado especial

Kim Olesen (teclados)

01. When God Took A Day Off
02. Kingmaker
03. Face The World
04. Humanize Me
05. Last Beauty On Earth
06. Bull’s Eye
07. King Of The Right Here And Now
08. Heavens Little Devil
09. Civilized Monsters
10. Sickening
11. Was That What You Wanted

kingmaker

Novo clipe do Pretty Maids

“Kingmaker”, faixa-título do novo álbum da banda dinamarquesa.

Chris Laney assume teclados do Pretty Maids

pretty maids

O produtor e músico sueco Chris Laney é o novo tecladista do Pretty Maids. Ele é figura carimbada na cena Hard escandinava, tendo lançado álbuns solo e junto a bandas como Zan Clan e Randy Piper’s Animal. Também produziu bandas como Crazy Lixx, Crashdïet, H.E.A.T e Dynazty. O grupo dinamarquês lança o álbum Kingmaker no dia 4 de novembro.

Nova música do Pretty Maids

“Humanize Me”, do álbum Kingmaker. O lançamento acontece dia 4 de novembro.

Tecladista deixa o Pretty Maids

pretty

Em curto comunicado nas redes sociais, o Pretty Maids anunciou que o tecladista Morten Sandager não faz mais parte de seu lineup. O grupo ressalta que a decisão ocorreu em comum acordo e desejou boa sorte ao agora ex-companheiro. Morten fez parte da banda dinamarquesa por dez anos, lançando quatro álbuns de estúdio e um ao vivo.

Vocalistas de Pretty Maids e Eclipse lançam projeto

nordic

A Frontiers Records lança no dia 29 de janeiro o álbum de estreia do Nordic Union. O projeto é resultado da união dos vocalistas Ronnie Atkins (Pretty Maids) e Erik Martensson (Eclipse, W.E.T.), que aqui atua como instrumentista, produtor e compositor principal. O tracklist traz:

01. The War Has Begun
02. Hypocrisy
03. Wide Awake
04. Every Heartbeart
05. When Death Is Calling
06. 21 Guns
07. Falling
08. The Other Side
09. Point Of No Return
10. True Love Awaits You
11. Go

Axel Rudi Pell tocando Deep Purple com vocalista do Pretty Maids

axelrudipell-magicmoments-dvd

A versão para “Black Night” está em Magic Moments: 25th Anniversary Special Show. O lançamento em CD e DVD acontece no final de abril.

Novo clipe do Pretty Maids

“Heart Without A Home”, do álbum Louder Than Ever.

Pretty Maids começa a preparar novo álbum

prettymaids

O Pretty Maids postou a foto acima em suas redes sociais. Ela mostra o vocalista Ronnie Atkins e o guitarrista Ken Hammer começando a trabalhar no próximo álbum de estúdio. Este ano, os dinamarqueses lançaram Louder Than Ever, com remixes e material inédito.

Novo clipe do Pretty Maids

“My Soul To Take”, do álbum Louder Than Ever.

Novo clipe do Pretty Maids

“Nuclear Boomerang”, do álbum Louder Than Ever.