Napalm Death no Brasil em junho

napalm

Novo clipe do Napalm Death

“Dear Slum Landlord”, do álbum Apex Predator – Easy Meat.

Napalm Death terá vocalista substituto em shows desta semana

napa

Devido a compromissos pessoais, o vocalista Barney Greenway não poderá participar dos shows do Napalm Death esta semana, na Itália e Suíça. Ele será substituído por Chris Reese (foto), da banda inglesa Corrupt Moral Altar. Nos próximos dias, Barney reassume seu lugar.

Heaven Shall Burn e Napalm Death lançam split

na

Os ingleses do Napalm Death e os alemães do Heaven Shall Burn lançam no dia 11 de dezembro um split em vinil 7 polegadas. The Mission Creep traz as faixas inéditas “An Extract (Strip It Clean)” e “Battle Of Attrition”, respectivamente. A edição é limitada em 2000 cópias, com seis diferentes cores.

Guitarrista volta a tocar com o Napalm Death após 27 anos

O show do Napalm Death em Estocolmo, Suécia, na última segunda-feira, contou com uma participação especial de Bill Steer. Ex-integrante do grupo, o guitarrista do Carcass não se apresentava com a banda desde 1988. Ele tocou “Deceiver”.

Ao vivo do Napalm Death ganha versão em vinil

napalm

Lançado originalmente em 1991, Live Corruption só havia integrado um box-set, em CD. Agora, o álbum está de volta em vinil. O tracklist original foi mantido. A edição é limitada.

Novo clipe do Napalm Death

“How The Years Condemn”, do álbum Apex Predator – Easy Meat.

Napalm Death lança música em benefício ao Nepal

napalm

Para ajudar as vítimas dos recentes terremotos do Nepal, o Napalm Death disponibilizou para venda a faixa “Earthwire”. Ela foi registrada durante as sessões do álbum mais recente da banda, Apex Predator – Easy Meat, podendo ser adquirida aqui.

Turnê reúne Carcass, Napalm Death, Obituary e Voivod

deathcrusher

A Deathcrusher 2015 acontece no mês de novembro, na Europa. As datas podem ser vistas na imagem acima. Em outubro, as bandas passarão pelo Reino Unido, menos o Napalm Death.

Opeth toca Napalm Death na Austrália

“You Suffer”, ao vivo em Melbourne, Austrália, na última quinta-feira.

Recomendação da semana: Napalm Death – Harmony Corruption

Napalm Death – Harmony Corruption [1990]
(Por Gabriel Ferreira)

A evolução musical do Napalm Death ao longo dos anos é notável. Já em 1988, ano em que o segundo registro dos ingleses foi lançado, a gritaria sem sentido de “Scum” foi deixada de lado para que os primeiros traços de um som mais bem tocado e elaborado fossem mostrados ao público, deixando a competência dos instrumentistas envolvidos mais audível. Atualmente a banda pratica um Death Metal visceral, e essa mudança de direção se deu em 1989, com o EP “Mentally Murdered”.

Pode-se dizer que “Harmony Corruption” é a consolidação da mudança sonora, e é um marco na discografia do grupo por ser o primeiro a ter o fantástico Mark “Barney” Greenway comandando os microfones. Com uma característica vocal mais forte que a de seu antecessor, o novo vocalista não demorou a ser bem recebido pelo público e deu novos ares ao Napalm. Sua estreia não poderia ter sido melhor, já que traz todas as características que fazem do Death Metal o gênero mais extremo do mundo: vocais potentes, baixo eficaz, riffs cruéis e bateria insana.

A abertura “Vision Conquest” já não deixa dúvidas da competência do novato. Também merece destaque o grande Mick Harris, único remanescente da formação original à época, que nocauteia o ouvinte com seus insanos blast-beats. Em “If The Truth Be Known” o entrosamento de cada membro é latente, com detalhe para a dupla Mitch Harris e Jesse Pintado. “Inner Incineration” lembra o Grindcore de antes e é um belo convite ao headbang.

A completamente Death Metal “Malicious Intent” abre alas para a melhor faixa do disco: “Unfit Earth”, que merece menção por ter John Tardy (Obituary) e Glen Benton (Deicide) fazendo backing vocals. O nível de brutalidade é, consequentemente, elevado ao máximo, tornando inevitável não destruir tudo o que estiver na sua frente durante a audição. Essa brutalidade permanece como uma constante não só aqui, mas também em todos os outros registros do Napalm Death.

As seguintes são a frenética “Circle of Hypocrisy” e a pesadíssima “The Chains That Bind Us”. “Mind Snare” contém a melhor atuação de Greenway no disco. Chegamos então ao final dessa verdadeira obra de arte com a direta e reta “Extremity Retained” e “Suffer The Children”, um de seus maiores clássicos.

O bom trabalho continuaria no EP “Mass Appeal Madness” de 1991 e no full-length “Utopia Banished”, este último já sem Mick Harris. No mais, só lhe resta conferir essa absoluta obra-prima da música pesada. Com certeza um dos melhores momentos da banda, indispensável para se ter uma dimensão do poder de fogo que eles possuem.

Mark “Barney” Greenway (vocais)
Mitch Harris (guitarra)
Jesse Pintado (guitarra)
Shane Embury (baixo)
Mick Harris (bateria)

Músicos adicionais:
John Tardy (vocais em 5)
Glen Benton (vocais em 5)

01. Vision Conquest
02. If The Truth Be Known
03. Inner Incineration
04. Malicious Intent
05. Unfit Earth
06. Circle of Hypocrisy
07. The Chains That Bind Us
08. Mind Snare
09. Extremity Retained
10. Suffer The Children