Rob Halford participa do novo álbum do In This Moment

Ritual, novo álbum do In This Moment, sai no dia 21 de julho. O sexto full-lenght do grupo conta com o single “Oh Lord”, além de uma versão para “In The Air Tonight”, de Phil Collins. Mas a grande expectativa fica por conta da faixa “Black Wedding”. Ela registra um dueto da vocalista Maria Blink com Rob Halford (Judas Priest). A produção do disco ficou a cargo de Kevin Churko (Ozzy Osbourne, Five Finger Death Punch).

Ex-Judas Priest chama vocalista do Primal Fear e regrava “Victim Of Changes” pela 2384289249ª vez

atkins scheepers

Tão certo quanto o especial do Roberto Carlos no final do ano é que o vocalista Al Atkins lançará um disco com mais uma regravação para “Victim Of Changes”, do Judas Priest. A nova versão está no álbum Reloaded e conta com a participação de Ralph Scheepers (Primal Fear). Ela pode ser ouvida abaixo.

Novo álbum do Judas Priest “tá quase”

Em entrevista à Planet Rock Radio, Rob Halford revelou a quantas anda o processo de gravação do próximo álbum do Judas Priest. A banda uniu produtores da nova e da velha guarda, usando Tom Allom e Andy Sneap. “Não diria que estamos no fim do processo, mas sinto que chegamos aos momentos derradeiros. É ótimo ver como o processo ganhou forma desde quando começamos. Somos uma banda trabalhadora, acima de tudo. E é realmente trabalho, usamos nossas mentes, buscamos ser criativos. O próximo passo é preparar a turnê mundial, desenhar o palco, a estrutura e as roupas. 2018 será empolgante”.

Judas Priest: 40 anos de Sin After Sin

priest sin

(lançado em 23 de abril de 1977)

Sad Wings Of Destiny catapultou o Judas Priest a outro patamar na cena Hard Rock dos anos 1970 – lembremos que o Heavy Metal ainda não havia se estabelecido como o movimento que viria a ser logo a seguir. O sucesso despertou interesse de grandes gravadoras, dando início a um trabalho com a CBS na Europa e Columbia nos Estados Unidos. Com mais recursos, a banda pôde investir em um produtor de gabarito, chamando ninguém menos que Roger Glover, então ex-baixista do Deep Purple, para comandar as sessões. O próprio acabou sugerindo o baterista Simon Phillips em substituição a Alan Moore, que havia saído após a turnê anterior. Renomado músico de estúdio, ele gravaria o disco, mas recusaria o convite para se tornar membro efetivo devido a compromissos previamente assumidos – ou, simplesmente, porque aquela não era a sua praia, embora sempre tenha declarado que foi uma experiência enriquecedora e produtiva.

O resultado foi Sin After Sin, que estabeleceu o grupo de vez com uma sonoridade agressiva, cheia de contornos épicos e dramáticos. O grande sucesso foi a versão para “Diamonds And Rust”, de Joan Baez. Lançada como single, foi uma espécie de desafio proposta pelos empresários, que a banda assumiu com naturalidade, transformando uma balada Folk em um Rock pesado e acelerado. Faixa de abertura, “Sinner” foi outra que se perpetuou, chegando ao panteão dos clássicos, junto de “Starbreaker”. Também houve espaço para algo mais leve, com a bela interpretação de Rob Halford em “Last Rose Of The Summer”. Anos mais tarde, “Dissident Aggressor”, que encerra o tracklist original, ganharia uma versão do Slayer. A turnê de divulgação levou o Judas Priest pela primeira vez à América do Norte, acompanhando Foreigner e REO Speedwagon. Para a função de baterista, o exímio Les Binks foi contratado. Era o primeiro passo significativo rumo ao posto de Metal Gods.

Rob Halford (vocais)
Glenn Tipton (guitarra)
K.K. Downing (guitarra)
Ian Hill (baixo)

Convidado especial

Simon Phillips (bateria)

01. Sinner
02. Diamonds And Rust
03. Starbreaker
04. Last Rose Of The Summer
05. Let Us Prey/Call For The Priest
06. Raw Deal
07. Here Comes The Tears
08. Dissident Aggressor

Jack Russell lembra promessa feita a Rob Halford que foi cumprida

russell halford

O vocalista Jack Russell lembrou ao TheRockPit.net a primeira vez que falou com Rob Halford. “Foi em 1982, no The Troubadour, em Hollywood. Tentei me aproximar e um cara da equipe, chamado Desmond, me tratou mal. De qualquer modo, Rob permitiu que chegasse perto. Disse ‘Ei, cara, só quero me apresentar. Você não vai se lembrar de mim, mas um vou abrir seu show um dia’. Ele respondeu ‘É isso aí, vá em frente’. Dois anos mais tarde, o Great White abriu para o Judas Priest na turnê do álbum Defenders Of The Faith. Cheguei novamente nele e falei ‘Rob, você provavelmente não se lembra, mas lhe vi no Troubadour e disse que um dia abriria um show seu. Aqui estou eu’, Ele disse ‘Uau, essa é uma história incrível’. O engraçado é que o cara da equipe acabou se tornando um grande amigo. Foi um belo momento, que provavelmente só significa algo para mim, mas pude ver chegando”.

Ripper Owens garante ter ficado de boas com volta de Rob Halford ao Judas Priest

Em entrevista ao NorthJersey.com, Tim “Ripper” Owens garante não ter guardado mágoa ao ter sido convidado a se retirar do Judas Priest para a volta de Rob Halford. “Ele precisava da banda e a banda precisava dele. Ainda somos grandes amigos, amo o grupo e o reconhecimento que me proporcionaram. Hoje, me apresento muito mais do que na época. Sempre digo às pessoas que foi um momento de de sorte aliado a muito trabalho”.

Caixa reúne todos os discos de Rob Halford fora do Judas Priest

rob halford

No dia 19 de maio a Legacy Records lança a caixa Rob Halford: The Complete Albums Collection. O box-set reúne, em 14 CDs, toda a discografia do Metal God fora do Judas Priest. Compõem o pacote:

FIGHT

* K5: The War Of Words Demos (recorded 1992, released 2007)
* War Of Words (1993)
* Mutations (1994)
* A Small Deadly Space (1995)

2WO

* Voyeurs (1998)

HALFORD

* Resurrection (2000)
* Live Insurrection (2 CDs, 2001)
* Crucible (2002)
* Live In Anaheim (2 CDs; recorded 2003, released 2010)
* Halford III: Winter Songs (2009)
* Halford IV: Made Of Metal (2010)
* Live At Saitama Super Arena (2011)

Judas Priest divulga foto com equipe de produção do novo disco

judas priest

O Judas Priest divulgou a foto acima nas redes sociais. Ela mostra a banda com o time de produtores e engenheiro de som que trabalham com a banda em seu próximo disco de estúdio. São eles:

– Tom Allom, que já trabalhou com a banda em Unleashed In The East, British Steel, Point Of Entry, Screaming For Vengeance, Defenders Of The Faith, Turbo, Priest… Live!, Ram It Down e A Touch Of Evil Live. Também colaborou com grupos como Def Leppard, Black Sabbath e Krokus, entre outros.

– Andy Sneap, produtor mais conceituado das últimas décadas. Conta em seu currículo com trabalhos junto a Arch Enemy, Nevermore, Amon Amarth, Opeth, Testament, Accept, Kreator, Exodus e Megadeth.

– Mike Exeter, que já havia trabalhado em Redeemer Of Souls. Também trabalhou com Black Sabbath, Heaven And Hell, Iommi e Cradle Of Filth. As gravações já acontecem. Ainda não há previsão de lançamento.

Judas Priest confirma produtores do novo disco

Em postagem online, o Judas Priest confirmou os produtores do seu próximo álbum de estúdio. São eles:

– Tom Allom, que já trabalhou com a banda em Unleashed In The East, British Steel, Point Of Entry, Screaming For Vengeance, Defenders Of The Faith, Turbo, Priest… Live!, Ram It Down e A Touch Of Evil Live. Também colaborou com grupos como Def Leppard, Black Sabbath e Krokus, entre outros.

– Andy Sneap, produtor mais conceituado das últimas décadas. Conta em seu currículo com trabalhos junto a Arch Enemy, Nevermore, Amon Amarth, Opeth, Testament, Accept, Kreator, Exodus e Megadeth.

O engenheiro de som será Mike Exeter, que já havia trabalhado em Redeemer Of Souls. Também trabalhou com Black Sabbath, Heaven And Hell, Iommi e Cradle Of Filth. As gravações já acontecem. Ainda não há previsão de lançamento.

“Estou cada vez mais comprometido, dedicado e apaixonado pelo Judas Priest”

judas priest

Após tantas décadas, Rob Halford confessou ao Full Metal Jackie que o amor pelo Judas Priest não diminuiu. Ao contrário. “Estou cada vez mais comprometido, dedicado e apaixonado pela banda. Na essência, as coisas não mudaram muito com o passar dos anos. Mas, com o tempo, você cresce como ser humano, se torna mais sábio. Hoje temos mais força e determinação do que em qualquer outra época”.

Guitarrista relembra críticas ao Judas Priest por ter tocado no American Idol

priest idol

A estreia de Richie Faulkner como guitarrista do Judas Priest aconteceu durante o American Idol, em 2011. A banda subiu ao palco com o cantor James Durbin, um dos concorrentes. Foi o suficiente para uma chuva de reclamações. “Criticaram por estarmos em um programa Pop. Mas que melhor oportunidade havia para mostrar o Metal britânico a 30 milhões de pessoas? Foi perfeito, uma grande experiência”, disse o músico ao Spectre Sound Studios.

Judas Priest segue em busca do diferente

Em entrevista à rádio WZLX, de Boston, Rob Halford falou sobre os maiores desafios do Judas Priest ao tentar se manter atualizado. “Estamos nessa há quarenta anos, queremos tentar analisar as ideias a partir de diferentes perspectivas, o que é extremamente desafiador. Buscamos ir a lugares onde ainda não fomos, musicalmente falando”.