Harem Scarem: 15 anos de Weight Of The World

scarem weight

(lançado em 25 de março de 2002)

À época do lançamento, algumas resenhas apressaram-se em dizer que o Harem Scarem reencontrou suas raízes Hard Rock em Weight Of The World. Conclusão um tanto quanto precipitada. Realmente, o grupo canadense retomou parte da sonoridade de álbuns como Mood Swings. Porém, não abandonou por completo o que havia construído em um passado então recente. O que não dá para negar é que se tratava de um disco bem melhor que os disponibilizados pouco tempo antes. As músicas estavam mais concisas, oferecendo melodias atrativas, refrães marcantes e execução precisa. Harry Hess e Pete Lesperance mostravam que ainda “tinham as manhas” de escrever algo que se torna inesquecível após a primeira escutada.

Difícil escolher algum momento como destaque, mas “Killing Me”, “All I Want Is Everything” e “If You” contentaram os fãs de longa data. Quem buscava o lado dramático não se queixou de “Outside Your Window”, com interpretação certeira de Hess. No campo das baladas, “This Ain’t Over” contava com certo tempero sessentista em seus vocais – aliás, sempre um atributo especial dos lançamentos do quarteto. Durante a turnê de divulgação, o grupo gravou um trabalho ao vivo no festival inglês The Gods Of AOR. Vale citar que em alguns mercados o disco ainda saiu sob o nome Rubber, que o Harem Scarem usou temporariamente durante a virada de século.

Harry Hess (vocais, guitarra)
Pete Lesperance (guitarra)
Barry Donaghy (baixo)
Creighton Doane (bateria)

01. Weight Of The World
02. Killing Me
03. Outside Your Window
04. All I Want Is Everything
05. This Ain’t Over
06. Internude
07. You Ruined Everything
08. Charmed Life
09. If You
10. See Saw
11. Voice Inside

scarem weight

Novo clipe do Harem Scarem

“Sinking Ship”, do álbum United.

Harem Scarem anuncia novo álbum

harem scarem

Os canadenses do Harem Scarem confirmaram para 12 de maio o lançamento do seu novo álbum de estúdio. United marca o retorno do baterista Creighton Doane ao lineup. Darren Smith, membro original que participou dos lançamentos mais recentes, contribuiu com backing vocals. Porém, seus compromissos como vocalista do Red Dragon Cartel o impediram de seguir com o grupo. O tracklist do disco reúne as seguintes faixas:

01. United
02. Here Today Gone Tomorrow
03. Gravity
04. Sinking Ship
05. One Of Life’s Mysteries
06. No Regrets
07. Bite The Bullet
08. Things I Know
09. The Sky Is Falling
10. Heaven And Earth
11. Indestructible

Harry Hess trabalhando em álbuns do Harem Scarem e First Signal

arry

O Harem Scarem entrará em estúdio no segundo semestre para a gravação do seu próximo álbum. Paralelamente, o vocalista Harry Hess já prepara o segundo trabalho do projeto First Signal. Mais detalhes em breve.

Cornerstone lança álbum com produção de vocalista do Harem Scarem

cornerstone

Os austríacos do Cornerstone confirmaram para 20 de maio do próximo ano o lançamento do seu novo trabalho de estúdio. A produção ficou a cargo de Harry Hess, vocalista do Harem Scarem. O título provisório é Reflections. Esse Cornerstone não é o mesmo grupo que contou com o vocalista Doogie White, anos atrás.

Resenha: Harem Scarem – Live At The Phoenix [2015]

harem

Apesar de uma carreira um tanto quanto irregular, o Harem Scarem sempre foi uma das forças do Melodic Rock. Seus dois primeiros discos estão entre os melhores de todos os tempos, sem qualquer exagero. Após encerrar atividades em 2008, os canadenses retornaram em 2013, com a regravação de Mood Swings e o razoável Thirteen. No meio tempo, o baterista Darren Smith ganhou destaque ao assumir os vocais do Red Dragon Cartel, grupo do guitarrista Jake E. Lee, do qual saiu e retornou após uma série de trocas que chegou às raias do cômico. Live At Phoenix foi registrado em Toronto, ganhando também uma versão em vídeo.

A formação é quase a clássica/original completa. Apenas o baixista Mike Gionet não participa, sendo substituído de forma competente por Stan Miczek. Não é surpresa nenhuma que os discos iniciais representem a maior parte do repertório, além de o mais recente ser representado por cinco faixas. Harry Hess ainda é um cantor de primeira e Pete Lesperance mistura técnica e senso melódico apurado nas seis cordas. A plateia não é das mais animadas, infelizmente. Mesmo assim, o trabalho é indispensável na coleção dos fãs. Dos vários lançamentos da discografia ‘live’ da banda, este é candidato a figurar entre os melhores.

Nota 8,5

Harry Hess (vocais, guitarra)
Pete Lesperance (guitarra)
Darren Smith (bateria, vocais)
Stan Miczek (baixo)

CD 1

01. Garden Of Eden
02. Hard To Love
03. Saviors Never Cry
04. Dagger
05. Distant Memory
06. The Midnight Hours
07. Mandy
08. Killing Me
09. Slowly Slipping Away
10. Troubled Times

CD 2

01. Sentimental Blvd.
02. Turn Around
03. Stranger Than Love
04. All I Need
05. Saints And Sinners
06. So Blind
07. Human Nature
08. Voice Of Reason
09. Change Comes Around
10. No Justice

hs

Detalhes de ao vivo do Harem Scarem

harem

Live At The Phoenix sai no dia 4 de dezembro, em CD e DVD. O trabalho foi registrado em julho deste ano, no Phoenix Concert Theatre, em Toronto, Canadá. O tracklist traz:

CD 1

“Garden Of Eden”
“Hard To Love”
“Saviors Never Cry”
“Dagger”
“Distant Memory”
“The Midnight Hours”
“Mandy”
“Killing Me”
“Slowly Slipping Away”
“Troubled Times”

CD 2

“Sentimental Blvd.”
“Turn Around”
“Stranger Than Love”
“All I Need”
“Saints And Sinners”
“So Blind”
“Human Nature”
“Voice Of Reason”
“Change Comes Around”
“No Justice”

Harem Scarem anuncia gravação de DVD

haremscarem

O Harem Scarem anunciou que o show em Toronto, Canadá, no dia 11 de julho, será usado para a gravação de um DVD. A apresentação acontece no The Phoenix Concert Theatre. Ano passado, a banda lançou o álbum Thirteen.

Harem Scarem terá guitarrista substituto nos próximos shows

michalevassos

O Harem Scarem anunciou que o guitarrista Pete Lesperance não poderá fazer os shows marcados para o mês de abril. O músico sofreu uma fratura no braço direito que o deixará fora de ação. Seu substituto temporário é Michale Vassos (foto), que toca com o projeto Clasisc Albums Live.

Recomendação da semana: Harem Scarem – Mood Swings [1993]

Harem Scarem - Mood Swings - Front

Com o lançamento de seu primeiro álbum – uma verdadeira pérola do Hard/Melodic Rock, indispensável em qualquer coleção – o Harem Scarem estava em alta, especialmente em seu país, o Canadá. Embora Mood Swings não tenha alcançado o mesmo êxito em termos de vendas, é um disco tão bom quanto. Tanto que até hoje há uma discussão entre os fãs sobre qual do dois é o melhor da carreira do grupo liderado por Harry Hess e Pete Lesperance. Mas o fato é que ambos são mais que dignos de nota dez. Nesse aqui, a banda acrescentou um pouco mais de peso, mas sem se descuidar das melodias impecáveis. O entrosamento do quarteto era evidente, com sincronia vocal e instrumental simplesmente absurda.

Para mostrar qual seria a tônica, o disco já começa metendo o pé na porta com as sensacionais “Saviors Never Cry” e “No Justice” (primeiro single). Uma bela amostra do que viria pela frente. “Stranger Than Love” retoma a linha do primeiro álbum, carregada de emoção, especialmente na letra, que diz muita coisa. O ritmo acelerado volta em “Change Comes Around”, talvez a música mais próxima do Heavy metal que os caras fizeram em toda a carreira. Em seguida, a fenomenal “Jealousy”, onde Harry Hess oferece uma de suas melhores performances em todos os tempos, mostrando porque é uma das grandes vozes do gênero. De emocionar. Uma novidade acontece em “Sentimental Blvd.”. Trata-se da primeira música do Harem Scarem cantada pelo baterista Darren Smith, fato que se repetiria em ocasiões posteriores.

A curta instrumental “Mandy” traz uma exibição pra lá de inspirada de Pete Lesperance, mostrando tudo que sabe nas seis cordas. Feeling de causar inveja a muitos bululuzentos por aí. A suingada “Empty Promises” faz um filme rolar na cabeça com sua melodia fora de série, enquanto “If There Was A Time” oferece um momento de calmaria muito bem-vindo, com teclados muito bem colocados. Como talento pouco é bobagem, prepare-se para uma queda de queixo em “Just Like I Planned”, momento a capella de arrepiar e encher os olhos de lágrimas. Para fechar em alta potência, “Had Enough” é um Hard Rock dos bons, perfeito para acompanhar o ritmo batendo o pé e balançando no ritmo.

Apesar de toda a qualidade, o álbum nem de perto repetiu o sucesso de seu antecessor, chegando apenas ao número 83 da parada canadense. Curiosamente, foi o primeiro disco da banda a ser lançado no Japão, único lugar onde seu nome realmente cresceu, fazendo com que o debut fosse finalmente lançado por lá, junto com o EP Acoustic and Live. Várias mudanças de direcionamento fizeram com que o grupo não colhesse os frutos que merecia. Mas independente do que tenha acontecido, Mood Swings colocou o Harem Scarem definitivamente entre os maiores nomes do Rock melódico mundial. Sem dúvida, um dos melhores trabalhos do gênero na década de 1990, que acabou ganhando regravação recente, também muito boa.

Harry Hess (vocais, guitarra)
Pete Lesperance (guitarra, teclados)
Mike Gionet (baixo)
Darren Smith (bateria, vocais em 6)

01. Saviors Never Cry
02. No Justice
03. Stranger Than Love
04. Change Comes Around
05. Jealousy
06. Sentimental Blvd.
07. Mandy
08. Empty Promises
09. If There Was A Time
10. Just Like I Planned
11. Had Enough

Harem+Scarem

Resenha: Harem Scarem – Thirteen [2014]

haremscarem

Descontando a regravação de Mood Swings, que contou com três faixas inéditas, o último full-lenght do Harem Scarem foi Hope, lançado em 2008. Uma reunião aconteceu, alguns shows no Japão e Europa, e o prosseguimento estava garantido. Nesse meio tempo, o baterista Darren Smith arrumou uma vaga como vocalista no Red Dragon Cartel, grupo que marcou a volta do lendário Jake E. Lee. Até hoje sua participação é um tanto quanto polêmica, mas o fato é que o novo emprego o impossibilitou de ter uma participação maior em um novo trabalho. Seu substituto foi o mesmo do passado, Creighton Doane, que respondeu por uma fase polêmica do passado.

Sendo assim, em termos de criação, Thirteen deve ser encarado como um trabalho de Harry Hess e Pete Lesperance. Afinal de contas, a dupla respondeu pelas composições do novo disco, com o segundo ainda assumindo o baixo nas gravações, além da tradicional guitarra. A abertura, com “Garden Of Eden” vai estampar um sorriso no rosto dos adeptos. Pegada forte, melodia marcante e a execução de quem realmente entende do riscado. Mas é importante deixar claro que não se trata de um resgate de raízes. Ninguém deve esperar algo com o trabalho autointitulado ou Mood Swings, que representam a época em que foram escritos e gravados.

Isso já fica claro na faixa seguinte, “Live It”, com uma abordagem próxima dos discos mais recentes e Harry Hess lembrando porque é dono de um gogó privilegiado. Outros destaques vão para “The Midnight Hours”, a emocionante balada “Whatever It Takes” e o Rock radiofônico de “Troubled Times”. A melhor de todas é “Saints And Sinners”, com seu belo groove, na linha clássica dos canadenses. As outras passam sem deixar maiores marcas nos ouvidos. Fica o mistério sobre qual será a formação da banda em possíveis shows para divulgação. Thirteen não figura entre os melhores álbuns do Harem Scarem, mas também passa longe dos piores. Para os fãs, acaba sendo um novo artigo para a coleção. Quem quiser começar, busque os primórdios.

Nota 6,5

Harry Hess (vocais, guitarra)
Pete Lesperance (guitarra, baixo, teclados)
Creighton Doane (bateria)
Darren Smith (backing vocals)

01. Garden Of Eden
02. Live It
03. Early Warning Signs
04. The Midnight Hours
05. Whatever It Takes
06. Saints And Sinners
07. All I Need
08. Troubled Times
09. Never Say Never
10. Stardust

haremscarem

Tracklist do novo álbum do Harem Scarem

haremscarem

Thirteen sai no dia 5 de dezembro com as seguintes faixas:

01. Garden Of Eden
02. Live It
03. Early Warning Signs
04. The Midnight Hours
05. Whatever It Takes
06. Saints And Sinners
07. All I Need
08. Troubled Times
09. Never Say Never
10. Stardust
11. The Midnight Hours (Acoustic Version – bônus para o Japão)
11. Garden Of Eden (Acoustic Version – bônus para a Europa)

CD 2 (exclusivo da versão japonesa)

01. Hard To Love (Live)
02. If There Was A Time (Live)
03. Sentimental Blvd. (Live)
04. Stranger Than Love (Live)
05. Mandy (Live)
06. Had Enough (Live)
07. No Justice (Live)
08. Change Comes Around (Live)