Mantendo dignidade e respeito

“Quantos vocalistas são necessários para trocar uma lâmpada? Um. Você segura a lâmpada e espera que o mundo se mova ao seu redor”. Assim David Lee Roth começa a entrevista ao Los Angeles Times para falar sobre o novo álbum do Van Halen, A Different Kind Of Truth. Confira alguns trechos do bate-papo.

A busca por conteúdo para o novo disco em gravações antigas: “É um material que Eddie e eu criamos entre 1975 e 1977. Normalmente bandas do nosso porte tentam dizer que voltarão aos bons tempos, mas acabam ficando a uma certa distância daquela época”.

Eddie Van Halen, o homem que passou por clínicas de reabilitação, perdeu um terço da língua para o câncer e precisou de uma cirurgia de substituição de quadril: “Ele está indo muito bem. Está lúcido, sóbrio e tocando. Não sei se já se sentiu assim antes. Há uma linha fina entre a fúria e um bom trabalho. Eddie nunca tinha realmente desfrutado de sua fama e sucesso, isso o incomodava”.

O legado mágico do Van Halen e a necessidade de um novo álbum e turnê: “Há segundas chances? Não sei, tenho a tendência a pensar que não. Nos esforçamos para manter nosso espírito adolescente, como se colássemos um chiclete na lua para espichá-lo. Mantivemos dignidade e respeito no caminho. Amamos o que fazemos para viver. Mesmo em nossos dias mais selvagens e embriagados jamais perdemos um ensaio”.

Esse post foi publicado em * Notícias e marcado por João Renato Alves. Guardar link permanente.