Edguy: 15 anos de Mandrake

edguy mandrake

(lançado em 27 de novembro de 2001)

A dobradinha Vain Glory Opera e Theater Of Salvation colocou o Edguy em posição de destaque no cenário do Power Metal europeu. A popularidade só aumentou graças ao surgimento do Avantasia, de Tobias Sammet, que mantinha uma pegada próxima, mas se sobressaiu ao reunir diferentes vocalistas, especialmente tirando Michael Kiske da caverna onde se escondia há anos. Ao mesmo tempo, a banda pegou uma fase em que o gênero começava a demonstrar sinais de saturação, com várias atrações que apenas reciclavam o que veio nos primórdios. A partir de Mandrake, o grupo começou a investir numa aproximação de outras vertentes, incluindo o Hard Rock, que praticamente se apropriaria da sonoridade com o passar da discografia. O resultado foi dos mais agradáveis.

Do início ao fim, o tracklist transcorre sem atropelos ou pontos baixos. A abertura traz “Tears Of A Mandrake”, que se tornou uma das preferidas dos fãs. O passado, então recente, ainda é representado por canções como “Golden Dawn”, “Fallen Angels” e “Save Us Now”. O single foi “Painting On The Wall”, embora a escolhida para o videoclipe tenha sido “All The Clowns”. Ainda há espaço para a longa “The Pharaoh” e a balada “Wash Away The Poison”. A repercussão foi tão positiva que o Edguy realizou sua primeira turnê como headliner e acabou despertando atenção da Nuclear Blast, podendo atingir um público maior a partir de seu lançamento seguinte, Hellfire Club. Antes, se despediu da AFM Records com o ao vivo Burning Down The Opera.

Tobias Sammet (vocais, teclados)
Jens Ludwig (guitarra)
Dirk Sauer (guitarra)
Tobias Exxel (baixo)
Felix Bohnke (bateria)

01. Tears Of A Mandrake
02. Golden Dawn
03. Jerusalem
04. All The Clowns
05. Nailed To The Wheel
06. The Pharaoh
07. Wash Away The Poison
08. Fallen Angels
09. Painting On The Wall
10. Save Us Now

edguy mandrake

Esse post foi publicado em * Resenha e marcado por João Renato Alves. Guardar link permanente.