Curiosidades sobre: o Rock no primeiro dia da MTV americana

mtv

Não se sabe quando foi a última vez que um clipe de Rock passou na MTV americana. Faz tanto tempo que a última testemunha não vive mais. Brincadeira à parte, há alguns dados interessantes sobre a relação do gênero com o canal no dia da sua estreia, 1º de agosto de 1981, completando 33 anos hoje.

The Who – “You Better, You Bet”: Primeiro videoclipe a ser exibido mais de uma vez pela emissora.

April Wine – “Just Between You And Me”: Primeiro vídeo de um artista canadense a ser exibido pelo canal.

Iron Maiden – “Iron Maiden”: Primeiro videoclipe de Heavy Metal e primeiro com captação de áudio ao vivo a ser mostrado na programação.

Artista que teve mais videoclipes mostrados no dia: Rod Stewart (11 clipes e 16 aparições)

Número total de videoclipes exibidos no primeiro dia: 116 (sem contar as repetições)

Curiosidades sobre: Castle Donington Monsters Of Rock 1982

Em sua terceira edição, realizada em 21 de agosto de 1982, o Castle Donington Monsters Of Rock já havia se estabelecido como um encontro anual dos fãs ingleses e europeus. Vamos conferir alguns detalhes curiosos sobre o evento.

– Cerca de 60 mil pessoas compareceram ao autódromo de Donington Park no dia 21 de agosto de 1982. As autoridades locais tentaram limitar em 50 mil a capacidade, mas os organizadores não concordaram com a medida.

– Apesar do claro aviso que não seria permitido acampamento, os headbangers ignoraram e armaram seus campings na véspera do festival. Mesmo sem organização prévia, nada de mais grave aconteceu.

– Durante a execução da música “Mothra”, o vocalista e guitarrista do Anvil, Steve Lips Kudow, não fez o tradicional número de tocar com um vibrador. Ao invés disso, pegou uma garrafa que havia sido atirada pela plateia.

– O Saxon estava em meio a uma turnê norte-americana, mas retornou à Inglaterra apenas para participar do evento. A banda fez questão de homenagear o festival onde teve a primeira grande projeção, dois anos antes. Biff Byford e seus companheiros foram a primeira banda a se apresentar pela segunda vez no evento.

– Algumas medidas adotadas pela segurança pública causaram polêmica. A maior delas era o fato de que se alguém saísse da área do festival, mesmo que em uma situação de emergência, não teria permitido seu retorno.

– No final do evento, os stands de alimentação foram atacados por arruaceiros. A situação motivou cenas bizarras, como trailers correndo no meio do povo para escapar dos assaltos.

Setlists

Anvil

Jackhammer
Metal On Metal
Mothra
Heat Sink
School Love
666
Scenery
Bedroom Game

Uriah Heep

Intro – Carmina Burana
Sell Your Soul
Running All Night
Stealin’
Too Scared To Run
The Wizard
July Morning
That’s The Way That It Is
Gypsy

Hawkwind

Brainstorm
Angels of Death
Coded Languages
Magnu
Dust of Time
Urban Guerilla
Waiting for Tomorrow
Psychedelic Warlords
Shot Down in the Night
Silver Machine
Master Of the Universe

Saxon

Motorcycle Man
Princess of the Night
Strong Arm of the Law
The Eagle Has Landed
Dallas 1 PM
747 (Strangers in the Night)
Wheels of Steel
Guitar Solo
And the Bands Played On

Gillan

Intro
What’s The Matter
Bluesy Blue Sea
Black Night
No Laughing In Heaven
Trouble
Born To Kill
M.A.D. (Mutually Assured Destruction)
Living For The City
Vengeance
Bite The Bullet / Janick Gers Guitar Solo
Keyboard Solo
No Easy Way
New Orleans
Smoke On The Water

Status Quo

Caroline
Roll Over Lay Down
Backwater
Little Lady
Don´t Drive My Car
Whatever You Want
Hold You Back
Rockin All Over The World
Over The Edge
What You´re Proposing
Dirty Water
4500 Times
Big Fat Mama
Don´t Waste My Time
Roadhouse Blues
Rain
Down Down
Bye Bye Johnny

Curiosidades sobre: Journey

Diretamente da Bay Area, eles se estabeleceram como um dos gigantes do Rock norte-americano. Conheça algumas curiosidades do Journey, verdadeira lenda do AOR.

– Já conhecidos pelo trabalho com Carlos Santana, o guitarrista Neal Schon e o tecladista Gregg Rollie resolveram montar sua própria banda. Na hora de batizar o projeto, resolveram fazer um concurso em uma rádio norte-americana. Mas nenhum nome agradou, até que um assistente do manager sugeriu Journey.

– Entre 1973 e 1975 o grupo contou com um segundo guitarrista no line-up, George Tickner.

– Após o fracasso dos primeiros discos, a gravadora Columbia Records sugeriu ao grupo que arrumasse um vocalista e desse uma cara mais acessível ao seu som. O nome de Steve Perry foi sugerido, mas Neal Schon não aceitou de cara. O cantor só foi admitido após os executivos ameaçarem a banda de demissão.

– Antes de se juntar ao Journey, Steve Perry trabalhava em uma fazenda, consertando estábulos e galinheiros.

– Robert Fleischman chegou a fazer parte do grupo antes de Steve. Ele cantou em demos, fez shows, mas só apareceu em uma gravação no Box-set Time³, com a faixa “For You”.

– Em 1981, a banda inovou ao vender os direitos das músicas do álbum Escape para um game de mesmo nome, lançado pela Midway Entertainment para Atari 2600 e arcades.

– Em 1984 a fundação Make-A-Wish, especializada em realizar últimos desejos de jovens em estado terminal entrou em contato com o Journey. Um garoto de 16 anos, chamado Kenny Sykaluk, de Cleveland, estava vivendo seus últimos dias, devido a uma fibrose cística. Sua derradeira vontade era conhecer seus ídolos. O grupo foi encontrá-lo e levou uma demo da faixa “Only The Young”, recém acabada. Kenny foi a primeira pessoa fora da banda a escutá-la. Realizado seu sonho, o garoto morreu no dia seguinte. A experiência afetou profundamente todos os músicos.

– Ainda nesse ano, Steve Perry lançou seu primeiro álbum-solo, Street Talk. O sucesso foi tão grande que a turnê seguinte do Journey acabou incluindo faixas desse disco, como “Oh, Sherrie” e “Strung Out”.

– Nessa mesma turnê, a banda se resumia a um trio (Perry, Schon e Cain). Músicos contratados completavam a formação, entre eles o conceituado baixista Randy Jackson, atual jurado do American Idol.

– O trabalho solo de Perry causou um clima de muita tensão do vocalista com o guitarrista. Neal entendia que a sonoridade das músicas eram muito próximas ao Journey e poderiam ter sido aproveitadas pela banda.

– A tour de Raised On Radio não chegou a ter um fim oficial. Desgastado com o clima entre os músicos e a morte de sua mãe, Steve Perry decidiu abandonar o meio artístico, fazendo com que o grupo entrasse em estado de hibernação por tempo indeterminado.

– Nesse meio tempo, Neal Schon e Jonathan Cain trabalharam como músicos de estúdio para outros artistas, além de formar o supergrupo Bad English. O guitarrista ainda faria parte do Hardline. Nesses trabalhos o baterista era Deen Castronovo, hoje integrado ao Journey.

– A banda só foi indicada uma vez ao Grammy, em 1996, pela balada “When You Love A Woman”.

– Em 1997, enquanto se preparava para a turnê que se iniciaria a seguir, Steve Perry começou a sentir dores no quadril. A saída era uma cirurgia de substituição. O vocalista adiou o quanto pôde. Cansados de esperar, seus colegas decidiram correr atrás de um novo membro, escolhendo Steve Augeri (Tall Stories, Tyketto).

– Ainda passaram pelo microfone Jeff Scott Soto e o atual dono do posto, o filipino Arnel Pineda, encontrado através do YouTube. Ele é o segundo músico não-americano da história da banda. O outro foi o baterista britânico Aynsley Dunbar.

– Desde 2005 o grupo possui uma estrela na Calçada da Fama em Hollywood.

– O Journey teve um revival de sua popularidade após o seriado Glee utilizar “Don’t Stop Believin’” em sua trilha. Foi a primeira música utilizada para divulgar a produção.

– Como resultado dessa nova popularidade, “Don’t Stop Believin’” é a música com o maior número de downloads pagos via Apple Store em todos os tempos.

– Estima-se que a banda tenha vendido mais de 80 milhões de discos em todo o mundo.

>Curiosidades sobre: Monsters of Rock 1981

>



Há exatos 30 anos acontecia a segunda edição do lendário Castle Donington Monsters of Rock. Vamos destacar algumas curiosidades do evento.

– Em comparação com a primeira edição, o Monsters of Rock quase dobrou sua audiência. Foram 65 mil pessoas, contra 35 mil da estréia.

– O baterista Albert Buchard, do Blue Öyster Cult, foi demitido um dia antes do festival. Em seu lugar se apresentou Rick Downey, que trabalhava como técnico de iluminação do grupo.

– A chuva acabou prejudicando as apresentações, com vários cabos molhados e instrumentos danificados.

– O Slade foi escalado em cima da hora no lugar de Ozzy Osbourne e sua Blizzard Of Ozz. O grupo cancelou a aparição devido a compromissos previamente assumidos.

– O Blackfoot foi a única banda a lançar material oficial com registros do evento: um single contendo as músicas “On the Run” e “Train, Train”.

– No auge de sua popularidade, o AC/DC fazia a primeira aparição como headliner do Monsters. A banda australiana é a que mais vezes foi atração principal, com três participações (1981, 1984 e 1991).

– Outro grupo que aparecia pela primeira vez era o Whitesnake, que à época contava com Jon Lord e Ian Paice na formação. Os comandados de David Coverdale também voltariam em outras duas oportunidades (1983 e 1990), como headliners.

>Curiosidades sobre: Led Zeppelin

>

Seguem algumas curiosidades sobre uma das maiores e mais lendárias bandas de Rock da história: Led Zeppelin!

Whole Lotta Love foi a última música que o baterista John Bonham tocou ao vivo. A performance ocorreu durante o último show da banda no Eissporthalle de Berlim, na Alemanha, em 7 de julho de 1980. Meses depois, em 25 de setembro, Bonham morreu sufocado pelo próprio vômito.

Seduzidos por tudo que vinha do Oriente, Robert Plant e Jimmy Page tiveram problemas durante uma viagem à Índia, em 1973. Se alimentaram da comida típica local, que é muito apimentada. Passaram mal até o fim da viagem, mas nada além de disfunções intestinais.

O guitarrista Jimmy Page é fascinado pelo estudo do ocultismo. Além de ser fanático pelo oculto, Page foi dono da maior loja de livros de ocultismo da Europa, chamada The Equinox e da própria mansão do teórico Aleister Crowley, chamada Boleskine, localizada às margens do Lago Ness.

Antes da fama, Jimmy Page era músico de estúdio no início da década de 1960 e foi creditado pela guitarra do hit It’s Not Unusual, de Tom Jones. O cantor, porém, contesta, alegando que Joe Moretti foi o responsável pela gravação do instrumento.

Após a descendente de aristocratas Eva Von Zeppelin ameaçar processar o Led Zeppelin em 1970, a banda se apresentou sob o pseudônimo The Nobs na turnê escandinava que fizeram naquele ano.

O Led Zeppelin foi uma das poucas bandas a colocar todos os seus álbuns entre os dez primeiros das paradas norte-americanas da Billboard. Outra banda responsável por esse feito foi o Linkin Park.

A primeira música tocada pelo Led, como uma banda, foi o clássico Train Kept-A-Rollin’, de Tiny Bradshaw. A execução se deu em um ensaio ocorrido no porão de uma loja de discos em Londres.

Apesar de nunca ter sido lançada como single, Stairway To Heaven é a música mais pedida e tocada na história das rádios FM. Com certeza, a rádio WKRL da Flórida, Estados Unidos, colaborou com o recorde – quando foi inaugurada, tocou a música por vinte e quatro horas seguidas.

O vocalista Robert Plant já se ofereceu para ser tocador de microfone do The Who, em 1965, num curto período em que Roger Daltrey, cantor da banda, havia sido demitido por causas desconhecidas. Num show, o guitarrista Pete Townshend assumiu os vocais e Plant assistiu a performance. Ao fim deste, Robert se ofereceu para ser o novo vocalista do grupo. Townshend levou como ofensa e, na semana seguite, Daltrey estava de volta.

O Led Zeppelin quase tocou no Brasil em 1975, ano em que o empresário da banda, Peter Grant, esteve no Brasil mantendo contato com alguns organizadores de eventos, para negociar uma apresentação da banda. Não houve sucesso pois pensaram que o Zeppelin não era “suficientemente conhecido” e que haveria pouco público.

O apartamento que aparece na capa do álbum “Physical Graffiti”, do Led Zeppelin, é o mesmo que aparece no clipe de Waiting On A Friend dos Rolling Stones.

>Curiosidades sobre: Aerosmith

>

Hoje citaremos fatos curiosos sobre os bad boys de Boston. A gangue comandada por Steven Tyler e Joe Perry está na área!

– A primeira formação do Aerosmith contava com o guitarrista Ray Tabano ocupando o lugar que posteriormente seria de Brad Whitford. Ray continuaria envolvido com a banda mesmo após sua saída, administrando o marketing, entre outras atividades. Foi ele que desenhou o logo original, com as asas e o A.


– Da série “idéias bestiais da humanidade”: durante a turnê de Toys in the Attic, Steven Tyler e Joe Perry incendiaram um quarto de hotel. O objetivo dos toxic twins (apelido que ganharam graças ao “abuso de abusos”) era incinerar uma quantidade de maconha para criar uma espécie de sauna hemp.

– No auge da chapação, Steven Tyler costumava andar com a mão tapando um dos olhos, avisando que estava vendo tudo em duplo. Um dia chegou gritando no backstage: “Cheguei a um novo patamar, estou vendo triplo!”.

– Joe Perry tocou em duas músicas do álbum solo de Gene Simmons (KISS), lançado em 1978. São elas: “Radioactive e “Tunnel of Love”.

– No mesmo ano, o Aerosmith participou do filme Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, inspirado na obra dos Beatles e dirigido por Robert Stigwood (Grease, Saturday Night Fever). Os músicos fizeram o papel da Future Villain Band. Essa produção, que contou com Peter Frampton e os Bee Gees no papel de heróis, é considerada um dos maiores fracassos da indústria artística em todos os tempos.

– Nos 1970s, o quinteto possuía um avião particular avaliado em um milhão de dólares para levar seu equipamento. Quando questionado onde ele foi parar, Steven responde: “No meu nariz”.

– A grande retomada do sucesso aconteceu graças ao Run-DMC, que regravou “Walk This Way” em seu álbum Raising Hell. Steven e Joe participaram do videoclipe, além de várias aparições posteriores com os rappers.

– A tour com o então emergente Guns N’ Roses, em 1988, foi encarada com horror por Tim Collins. Recém o empresário havia conseguido tirar a banda das drogas e a próxima excursão seria com os novos bad boys do pedaço. De início, Tim armou tudo para que os grupos não se encontrassem. Mas começaram a surgir especulações na imprensa que o Aerosmith estaria esnobando Axl e companhia. Sendo assim, Steven Tyler – que usava uma camiseta igual à oficial da tour, mas com os nomes das clínicas por onde passou – chamou o Guns e disse: “Façam tudo o que quiser. Mas não na nossa frente, por favor”.

– A capa do álbum Get A Grip causou problema junto à Sociedade Protetora dos Animais, que cismou com o piercing na teta da vaca. A banda declarou que o animal foi anestesiado e depois passou por recuperação no hospital. Mas na realidade, trata-se de pura montagem.


– Ainda falando em capas, a original do disco Nine Lives causou revolta entre associações Hare Krishna, que se sentiram desrespeitadas. A solução foi mudar a arte.


– O Greatest Hits lançado em 1980 é o disco mais vendido até hoje, com mais de quinze milhões de cópias comercializadas.

Fontes: Showbizz, Rock Brigade

>Curiosidades sobre: Monsters of Rock Brasil

>

Vamos relembrar alguns fatos das quatro edições brazucas do mais tradicional festival de Heavy Metal do mundo.

– A Philips foi a empresa que promoveu o evento no país.

– Os três primeiros Monsters tiveram como sede o estádio do Pacaembu. O último ocorreu no Ibirapuera.

– O maior público foi registrado em 1996. Nada menos que 50 mil pessoas presentes, número muito motivado pela primeira apresentação do Iron Maiden no Brasil com o vocalista Blaze Bayley.

– A primeira edição, realizada em 1994, foi a que contou com o maior número de atrações nacionais. Foram quatro bandas: Angra, Viper, Dr. Sin e Raimundos.

– Em 1996, King Diamond realizou dois shows em seqüência. Primeiro com o Mercyful Fate, depois com sua banda solo.

– Não bastasse a já dura tarefa de se apresentar duas vezes seguidas, King ainda precisou superar um contratempo de ordem intestinal. Após se esbaldar com pratos de feijoada, o cantor justificou sua alcunha de Rei e precisou sentar no trono inúmeras vezes nos dias seguintes.

– Megadeth, Slayer e Raimundos foram as bandas que mais se apresentaram na história do festival. Cada uma participou duas vezes.

– O baterista Jimmy DeGrasso esteve presente em três edições. Em 1994 com o Suicidal Tendencies, 1995 com Alice Cooper e 1998 com o Megadeth.

– Headliners do primeiro Monsters, o KISS surpreendeu por não tocar o seu maior clássico, “Rock and Roll All Nite”.

– Nesse show, Paul Stanley cometeu duas gafes. Dedicou “Cold Gin” a quem tinha visto a banda em 1982 (erro que também constava no press-release). E anunciou “I Stole Your Love”, do álbum Love Gun como sendo de Rock and Roll Over.

– No mesmo ano, o Black Sabbath trouxe uma formação atípica, com todos os instrumentistas da formação original e o vocalista Tony Martin, que jamais havia tocado com o baterista Bill Ward anteriormente.

– Apesar de toda sua história, o Sabbath se apresentou antes do Slayer. Na coletiva oficial, ao ser perguntado sobre a situação dos veteranos, o guitarrista Kerry King disparou: “Eles já deviam ter se aposentado faz muito tempo”.

– Equivocadamente escalados para o evento em 1995, o Virna Lisi foi hostilizado pela platéia o tempo todo. O ápice aconteceu quando o vocalista anunciou que iam “tocar um samba, pois estamos no Brasil”. As coisas só acalmaram um pouco quando Igor Cavalera entrou para uma participação especial.

– Um ano mais tarde, a vítima da vez seria o Skid Row. Tocando entre Iron Maiden e Motörhead, o grupo serviu de alvo para tudo que os headbangers tinham em mãos. A experiência foi tão traumatizante que Sebastian Bach lembra até hoje e constantemente cita o momento. Uma matéria mais detalhada sobre o acontecido por ser vista aqui.

– Três shows realizados no festival foram lançados oficialmente. O KISS incluiu sua participação como bônus no terceiro volume da série de DVDs KISSology. Também no formato, o Manowar incluiu sua apresentação em 1998 como atração principal em Hell On Earth Part II. Do mesmo ano, o Korzus retirou sua apresentação para o CD Live at Monsters of Rock.

– O Slayer foi headliner da última edição, embora inicialmente não estivesse programado para tal função. A produção tentou trazer Judas Priest e Van Halen, mas não teve sucesso nas investidas. Coube a Tom Araya e seus asseclas realizar o último concerto da história do Monsters of Rock Brasil.

>Curiosidades sobre: Kiss (3ª parte)

>


Na postagem de hoje, a terceira e última parte da sequência de postagens sobre curiosidades de uma das bandas mais curiosas do Rock: Kiss!

– A canção See You Tonight, do álbum solo de Gene Simmons, foi uma de suas primeiras composições, datada em meados de 1965;

– Em seus tempos mais loucos, Ace Frehley gostava de dar um susto nos funcionários de hotéis em que se hospedava, revirando todos os móveis e deixando-os invertidos ou até mesmo colados no teto, segundo uma lenda;

– O Kiss é uma banda totalmente contra as drogas (ao menos os líderes Gene e Paul) e desde a década de 80 os integrantes participam de campanhas nos Estados Unidos;

Peter Criss abandonou seus estudos no segundo grau e foi integrante de uma gangue de rua no Brooklyn chamada The Phantom Lords. Já Ace Frehley fez parte de uma gangue de rua no Bronx chamada The Duckies, que também tinha Blackie Lawless (W.A.S.P.) como membro;

– Em 1994, o Kiss recebeu uma proposta de 1 milhão de dólares para se reunirem com Ace e Peter e recuperarem as maquiagens para encerrarem a segunda edição do festival Woodstock;

– O clipe para All Hell’s Breakin’ Loose é até hoje o único vídeo do Kiss que participou do MTV Video Music Awards, em 1984. Perderam na categoria “melhor cinematografia” para Every Breath You Take, do The Police;

– Em 1979, o Kiss gastou mais de 1 milhão de dólares em um sistema de efeitos de laser para a turnê de “Dynasty”, que incluía um efeito em que Paul Stanley atirava um laser de seus olhos. O sistema inteiro nunca foi usado durante essa e outras turnês.

– A notícia que se passa no começo da música Detroit Rock City do álbum “Destroyer” em 1976, foi escrita e lida por Gene Simmons;

– Duas bandas não permitiram que o Kiss abrisse para elas na primeira metade da década de 1970: Mott The Hoople e Queen;

– Quando o Kiss teve que substituir Ace Frehley em 1982, guitarristas bem conhecidos como Punky Meadows (Angel), Richie Sambora (Bon Jovi), e até mesmo Eddie Van Halen desejavam participar das audições para entrar no grupo. Eddie já tinha um relacionamento com o Kiss, pois Simmons indicou o Van Halen para um contrato com a Warner, e na época o guitarrista passava por problemas com o vocalista David Lee Roth;

– Os ex-integrantes do Kiss sempre tiveram saídas que deixaram mistério:

Peter Criss abandonou a banda pela primeira vez por não se conformar com o pouco espaço que era dado a suas composições e opiniões dentro da banda, além de Paul e Gene já estarem pensando em tirá-lo, tendo em vista os abusos que cometia em relação às drogas. Deixou a banda em 1980, após um desentendimento com a banda devido a uma overdose de heroína. Voltou em 1996 e saiu duas vezes: em 2001, quando decidiu sair e foi substituído temporariamente por Eric Singer, e em 2004, quando seu contrato acabava oficialmente e não houve interesse de renovação;

Ace Frehley foi despedido da banda em 1982 por sua dificuldade em livrar-se da dependência de álcool e drogas, aliando-se ao fato de estar insatisfeito por Paul e Gene terem tomado o controle da banda após a saída de Peter. Voltou em 1996 e saiu em 2002, por se sentir ofendido com o fato de Peter e ele estarem recebendo salários e pela turnê de despedida não ter sido uma verdadeira despedida. Foi substituído por Tommy Thayer;

Vinnie Vincent foi despedido em 1984 por ser indisciplinado, tendo a gota d’água após um solo de guitarra que extendeu contra as ordens da dupla, resultando em até briga física com Stanley. Foi contratado temporariamente para o resto da turnê e tomou o seu rumo. Vincent colaborou posteriormente com três composições para o álbum “Revenge”, de 1992: Unholy, Heart Of Chrome e I Just Wanna;

Mark St. John abandonou a banda aparentemente após desenvolver uma doença conhecida por Síndome de Reiter que causava inflamação e dor em suas mãos, impedindo que ele tocasse. Mas acredita-se que os seus ex-colegas simplesmente não se sentiam agradáveis com o estilo de Mark, e não quiseram aguardar a recuperação. Mark apareceu com o White Tiger dois anos depois.

Bruce Kulick e Eric Singer foram desligados após a reconciliação que reuniu os integrantes originais, em 1995. Singer foi recontratado em 2004, após a saída definitiva de Peter Criss.

>Curiosidades sobre: Kiss (2ª parte)

>

Na postagem de hoje, mais curiosidades sobre uma das bandas mais curiosas do Rock: Kiss!

– A sessão de fotos para o álbum “Hotter Than Hell”, de 1974, foi bem curiosa. Ocorreu em uma festa particular e o fotógrafo Norman Seeff deixou todos os integrantes da banda alcoolizados, com exceção de Gene Simmons, além da maioria da equipe – inclusive as modelos que apareceram nuas e semi-nuas nas imagens. Várias fotos nunca foram publicadas nem depois da fama do grupo. Parte do rosto de Ace Frehley na capa do álbum ficou de lado para não mostrar o local onde não foi colocado maquiagem por estar com um hematoma na face, causado por um pequeno acidente de carro;

– Antes de se juntar à banda, Gene Simmons foi professor primário, salva-vidas e datilógrafo na revista Vogue. Paul Stanley estudava música na New York High School of Music e também foi taxista. Ace Frehley foi taxista, carteiro e vendedor de uma loja de bebidas. Peter Criss já tinha mais de dez anos de experiência como baterista profissional;

– No dia 3 de maio de 1975, o Kiss fez uma apresentação curiosa no Tower Theater da Filadélfia porque Paul Stanley utilizou óculos escuros sobre a maquiagem pois estava com conjuntivite;

– Apesar de não contentar os integrantes da banda, o filme “Kiss Meets The Phanton Of The Park”, gravado para TV em 1978, teve a segunda maior audiência no canal apresentado no ano;



O primeiro número da revista em quadrinhos lançada pela Marvel nos anos 70 foi impresso com sangue dos membros da banda. Os quatro retiraram amostras de seu sangue, que foi misturado à tinta de impressão. O sangue chegou à gráfica dentro de um carro blindado;

– Por causa do Kiss ter um contrato assinado com a Phonogram Records em 1980, Peter Criss recebeu realezas em álbuns que ele não fez, incluindo “Lick it Up”, “Animalize” e “Asylum”. Paul e Gene resgataram a parte de Peter em 1987;

– Quando criança, Gene Simmons chegou a freqüentar uma escola judia para se tornar um rabino. O linguarudo fala fluentemente o inglês, o alemão, o hebraico e o húngaro;

– O último show do Kiss maquiado (antes da Reunion Tour) foi no dia 25 de junho de 1983, no estádio do Morumbi, em São Paulo;

– Uma das músicas de maior sucesso do álbum “Rock And Roll Over”, Hard Luck Woman, foi uma composição feita por Paul Stanley para Rod Stewart, que a rejeitou;

A música Nothin’ To Lose, do primeiro álbum do Kiss, fala sobre sexo anal, segundo própria declaração do compositor Gene Simmons.

>Curiosidades sobre: Kiss (1ª Parte)

>


Na postagem de hoje, curiosidades sobre uma das bandas mais curiosas do Rock: Kiss!

– A primeira sessão de fotos do Kiss, em 1973, para a capa do álbum de estreia, quase resultou em um grande desastre: o fotógrafo entendeu errado a história de maquiagem, encheu o estúdio com balões coloridos e levou chapéus pontudos e narizes vermelhos para as fotos.

– Gene Simmons afirma que revistas em quadrinhos são o grande responsável pelo que ele é hoje. Suas asas de morcego foram inspiradas em Black Bolt, personagem dos Inumanos.

– Kiss sempre foi um campeão de marketing. Os mais diversos produtos já foram lançados com o logotipo da banda. Entre os mais curiosos estão um sorvete, um diário, jogos de toalha de mesa, um caixão, um carro e uma pistola d’água.

– Durante a primeira turnê da banda pelo Japão, em 1977, a banda resolveu se divertir: saíram andando de bicicleta pelos corredores do hotel e atirando nos outros hóspedes com pistolas de brinquedo.

– Gene Simmons se tornou um ator prolífico, principalmente a partir da década de 1980, com a retirada das máscaras. Além do clássico Kiss Meets The Phantom Of The Park, Gene participou dos filmes Runaway, Wanted: Dead Or Alive, Miami Vice (o segundo longa-metragem), Trick Or Treat, Never Too Young To Die e Red Surf.

– O especial acústico do Kiss para a MTV é o campeão de audiência da emissora nos Estados Unidos.

– A banda pensou em fazer uma versão para o clássico de Elvis Presley “Jailhouse Rock”, para o disco “Alive II”, mas desistiu por conta do falecimento do Rei do Rock.

– Juntamente de seus empresários, o Kiss comprou cerca de 190 acres (76,5 hectares) em 1979 para construir um parque de diversões da banda, mas o parque nunca foi construído.

– Antes de entrar para o Kiss, em 1982, Vinnie Vincent era compositor de um programa de tevê chamado “Happy Days”, escrevendo canções que Joanie e Chachi cantavam no show.

– Gene Simmons é um dos maiores cuspidores de fogo do mundo. O recorde mundial é de 20 pés. Gene já alcançou 15.

– Demora cerca de 45 minutos para que toda maquiagem seja feita apropriadamente. Cada membro da banda faz a sua própria pintura, desde o início da carreira.

– Durante o primeiro show da turnê “Rock And Roll Over” ocorrido em Lakeland, Florida, no dia 11 de Dezembro de 1976, no início da música “Detroit Rock City”, Ace Frehley sofreu um acidente sério. Enquanto descia a escada, o guitarrista encostou a mão no corrimão das escadas do palco e acabou servindo de terra, sendo eletrocutado. Perdeu os sentidos, desmaiou e quando acordou, estava com os dedos queimados. Cerca de 10 minutos depois, Ace voltou a se sentir normal e o show recomeçou. O incidente inspirou a composição de “Shock Me”, primeira canção do Kiss a ser cantada por Frehley.

>Curiosidades sobre: Manowar

>


Empunhe sua espada e sinta o poder do aço nessas curiosidades sobre os guerreiros do True Metal. Hail, brother!

– Joey DeMaio e Ross The Boss se conheceram durante a turnê do Black Sabbath promovendo o álbum Heaven and Hell. Joey era técnico de baixo e manager de pirotecnias. Ross era o guitarrista da Shakin’ Street, banda de abertura.

– Na turnê de divulgação do debut, Battle Hymns, o Manowar foi atração de abertura de Ted Nugent. Mas foram dispensados após poucos shows. Reza a lenda que o quarteto roubava a atenção da platéia todas as noites.

– O contrato com a Megaforce Records, em 1983, foi assinado com o sangue dos integrantes.


– A arte da capa de Fighting the World é constantemente lembrada pela semelhança com a do disco Destroyer, do KISS. O artista que as desenhou é o mesmo, Ken Kelly.

– Em 1991, o Manowar entrou para o Guiness Book após fazer o show com o volume mais alto já registrado: 129,5 decibéis.

– O show realizado em Kavarna, Bulgária, em 2008, estabeleceu a marca de mais longo da história do Heavy Metal, durando quase cinco horas.

– Em 2009, o grupo gravou a música “Father” em 15 idiomas. Entre eles, o português.

– A banda possui uma linha de preservativos, denominada “Warrior’s Shield”.

Curiosidades sobre: Rock In Rio I (1985)

Prosseguindo nosso novo quadro, vamos viajar no tempo, até o momento em que o Brasil entrou de vez na rota de shows internacionais. Relembre (ou conheça) fatos pitorescos que marcaram a primeira edição do Rock In Rio.

– Três bandas inicialmente anunciadas acabaram não vindo: The Pretenders (a vocalista Chrissie Hynde descobriu que estava grávida meses antes do festival), Men At Work (o grupo se separou repentinamente) e Def Leppard (o baterista Rick Allen sofreu o acidente que lhe custaria o braço esquerdo às vésperas do evento).

– Para o lugar do Def Leppard, o Whitesnake foi recrutado. Substituindo o The Pretenders, veio o B-52’s. Rod Stewart preencheu a vaga do Men At Work, embora algumas fontes não estabeleçam conexão entre uma coisa e outra.

– A estrutura de palco era toda do Queen. Alguns aparatos de som e luz entravam em ação apenas nas duas apresentações da banda.

– A Igreja Católica conclamou seus fiéis a não participar da festa diabólica que se instalava no Rio de Janeiro. “O Rock é uma música alienante e provocatória. As conseqüências de ordem moral e social devem preocupar pais e mestres”, declarava o Cardeal Arcebispo Dom Eugênio Salles.

– Na mesma linha, o então governador carioca, Leonel Brizola, se apoiava em suposta profecia de Nostradamus, que dizia que um grande encontro de jovens na América do Sul, no fim do século XX, terminaria em tragédia, com a morte de milhares de pessoas. Segundo Roberto Medina “a história foi inventada por jornalistas em um porre de bar”.

– Apesar de toda a pressão para transmitir uma imagem positiva a cada show, os artistas nacionais sofreram nas mãos do público, especialmente em dias que havia alguma banda de Heavy Metal na escalação. Poucos não foram hostilizados pela platéia, que atirava tudo em direção aos palcos.

– As informações sobre Rock no Brasil eram tão escassas que uma das bandas mais votadas para se apresentar no evento em pesquisas populares era o Led Zeppelin. A banda havia acabado cinco anos antes, após a morte do baterista John Bonham.

– Foi durante o festival que a expressão “metaleiro” foi criada. Sem saber como denominar a legião de headbangers que tomou de assalto a Cidade do Rock, a Rede Globo deu origem ao termo. Até hoje ele é abominado pela cena Heavy, por ser considerado pejorativo.

– O Mc Donald’s vendeu, num só dia, 58 mil hambúrgueres, entrando para o Guiness Book of Records. Este ainda é o seu recorde até hoje.

– Também foram consumidos: 1.600.000 Litros de bebidas em 4 milhões de copos; 900.000 sanduíches; 7.500 quilos de massa e 500.000 fatias de pizza.

– Com a New Wave em alta, o público caprichou no visual típico. 800 quilos de gel para o cabelo foram vendidos.

– A cantora Nina Hagen foi escolhida pela imprensa como “a musa dos roqueiros”. O papel de sex symbol masculino coube a John Sykes, guitarrista do Whitesnake.

– Preocupado em evitar polêmicas, Roberto Medina proibiu em contrato que Ozzy Osbourne devorasse morcegos no palco.

– O Madman foi a primeira atração internacional oficialmente confirmada.

– O sino do AC/DC não pôde ser colocado no palco. Os engenheiros concluíram que a estrutura não suportaria o peso. A saída foi apelar para uma réplica de gesso.

– O guitarrista do Scorpions, Matthias Jabs, tocou com uma guitarra que imitava (ou ao menos tentava) o formato do mapa do Brasil.

– O contrato padrão previa duas apresentações para cada banda. Mas o Iron Maiden tocou apenas uma vez. Compromissos anteriormente assumidos impediram outro concerto.

– Durante a execução de “Revelations”, Bruce Dickinson bateu a guitarra acidentalmente em seu rosto. Com sangue escorrendo pela face, continuou a música até o fim. Fãs acharam que era um truque para emprestar dramaticidade ao espetáculo.

– Freddie Mercury era a diva do festival. Não permitia que ninguém se aproximasse e ameaçava ir embora se algum reles mortal o dirigisse a palavra. Acompanhe acontecimento relatado na revista Showbizz em matéria especial sobre os quinze anos do Rock In Rio:

Freddie Mercury deu fricote ao chegar à Cidade do Rock e encontrar o corredor cheio de plebeus (Erasmo Carlos, Elba Ramalho e outros astros da MPB, que esperavam para vê-lo). Entra em cena para segurar o pepino o bravo Amin Khader, responsável pelos camarins – que, àquela altura, já tinha tratado de acender o saquê a 20 graus para fazer a vontade de Sua Majestade. Travou-se então o seguinte diálogo…

Freddie: Quem são essas pessoas?

Amin: Grandes artistas brasileiros, gente do mesmo gabarito que você.

Freddie: Não podem ser do mesmo gabarito que eu. Por que eles me conhecem e eu não os conheço!

Sua Majestade, então, do alto de seu posto de líder do grupo que cobrava o maior cachê do evento (US$ 600 mil), exigiu que todos saíssem do caminho ou voltava para o hotel. A duras penas, Amin conseguiu que cada um voltasse para o seu camarim. Porém, as portas permaneceram abertas. À passagem de Freddie ouvia-se o coro de “Viado! Viado!”.

Freddie: O que eles estão gritando?

Amin: Estão te elogiando…

Freddie: É mentira!

Pas-sa-do, Freddie entrou em seu camarim. Minutos depois, saiu e procurou Amin. “No Brasil tem furacão?”, perguntou. Ao ouvir a negativa, Sua Majestade retrucou: “Pois acabou de passar um por aqui!”. “Quando eu entrei”, conta Amin, “estava tudo virado! A bicha tinha botado o camarim de pernas pro ar. Tinha mamão papaya até no teto!”.


Fontes de pesquisa: Revista Showbizz (reportagem “Os dez dias que abalaram o Brasil”, de Jaime Biaggio)
Site oficial do evento