Carta aberta aos leitores: a Van está encerrando atividades

Por si só, o título explica o conteúdo do grande texto que estou publicando – e desta vez, ao contrário de tantas outras, me permito usar a primeira pessoa do singular. Não pensem que essa é uma decisão motivada pelo calor do momento. Para ser bem exato, comecei a escrever estas linhas na madrugada do dia 3 de março. Não há uma razão específica para decretar o fim. É uma combinação de questões pessoais, profissionais e até mesmo mercadológicas que levaram à decisão. Pretendo explicá-las nos próximos parágrafos, me reservando o direito de não aprofundar algumas que não são de interesse público.

Em primeiro lugar, desde 2009 eu praticamente sacrifiquei minha vida social. Nunca tirei mais que dois dias longe do site. Nenhuma dessas ocasiões foi para realmente descansar a cabeça, era alguma viagem, doença, acontecimento inesperado, jamais férias. De domingo a domingo, manhã até madrugada, se necessário. Opção minha, fique claro, não estou me queixando. Sempre preferi centralizar o processo a encher de colaboradores e desvirtuar a linha editorial. Os únicos que participaram são amigos pessoais, com quem já tinha contatos anteriores e contribuíam de forma esporádica, com quadro fixo ou resenha. E foi melhor dessa forma. Nada vai para frente sem um líder.

Há também uma pessoa que vai além do site e do gosto pela música. Quem acompanha com mais atenção já deve ter visto, em algum momento, eu contar que sou jornalista formado desde 2004, pós-graduado em comunicação e mídias digitais em 2008. Desde então, interrompi meus estudos para entregar o máximo a este projeto. Sinto saudades da vida acadêmica e pretendo retomá-la. Também quero viajar, reencontrar amigos e aproveitar a vida junto à minha esposa e nossas duas crianças. Enfim, coisas que não são exatamente compatíveis com uma página que se orgulha de ter “as notícias mais rápidas do Rock e Metal”.

É inegável que a crise dos últimos anos provocou um efeito devastador. Basta ver a quantidade de páginas que sucumbiram. A coisa fica ainda pior em um meio amador como o nosso. Ser profissional na cena Rock/Metal nacional é quase como se convidar a sair. Assessorias e músicos que trabalham na base do tapinha nas costas, tentando forçar amizade e intimidade em troca de um post. Gravadoras que tentam comprar opinião com CD de graça – e conseguem, em alguns casos. Produtoras que pedem merchan gratuito em troca de autorização para cobrir o evento. Blogueiros que têm vergonha de fazer crítica negativa e dão nota 8 para qualquer disco. Enfim, não é um ambiente legal, especialmente quando você luta para fazer a coisa da maneira mais correta possível. Em um mundo onde a profissionalização é cada vez maior, a cena não acompanhou. E parece se orgulhar de ser assim, tosca.

Nessa quase uma década de funcionamento, a Van manteve uma postura totalmente independente. Nunca tivemos parceria com portal, jamais colocamos panos quentes, expusemos maracutaias e nunca chamamos show cancelado por baixa venda de ingressos de “problemas de logística”. Os frequentadores mais antigos vão lembrar do caso Metal Open Air, quando fomos um dos poucos sites a denunciar em tempo real a patifaria que acontecia no Maranhão. Foi um episódio que rendeu muitos desafetos, mas também, credibilidade enorme. E podem ter certeza, não trocaria um pelo outro. Até porque entrei nessa para exercer minha profissão, não para fazer amizades. Porém, há um preço a se pagar quando se adota essa postura.

Quero ressaltar que, apesar de sempre ter prezado pela independência e deixado claro que não mudaria uma vírgula por conta de reação da opinião pública, os leitores foram o grande combustível da Van. Uma vez, recebi email de um jovem que declarou ter começado no jornalismo por nossa causa. Em diversas oportunidades, li depoimentos de pessoas que conheceram determinados artistas após nossa indicação. Isso é muito, mas muito mais importante que ter entrevistado fulano ou visto show da banda tal. Aliás, convenhamos, a maioria desses caras possuem valor pela obra que criam, não pelas figuras humanas que são. Vocês e eu somos muito melhores, mais puros e sinceros que quase todos eles.

Tudo na vida acaba, inclusive a própria vida. A Van do Halen sai de cena com a cabeça erguida. Fomos muito vitoriosos. Não vou citar nome por nome, pois cada envolvido sabe que foi muito importante. Jamais vai ser a mesma coisa. Mas quem disse que deve ser? A página do Facebook permanecerá aberta e sendo atualizada quando der vontade. Nada muito dedicado, alguns comentários, clipes, curiosidades e um monte de outros nadas. De resto, muito obrigado a todos que nos acompanharam até aqui. Como disse Kevin Arnold, foram anos incríveis!

João Renato Alves
Jornalista
Email para contato: jrenato83@hotmail.com
https://www.facebook.com/VanDoHalen/

Lars compara música do Metallica ao curling

metallica curling

Em entrevista à rádio 98 Rock, de Maryland, Estados Unidos, Lars Ulrich fez uma comparação deveras curiosa sobre o funcionamento do Metallica e um esporte. “No curling, alguém joga a pedra e os outros caras vão na frente, varrendo o gelo e abrindo caminho. É assim que as coisas funcionam na nossa música. Todos fazem o possível para que as coisas sejam puras, limpas e não se tornem afetadas por muitos pensamentos externos”.

As 30 melhores músicas do Nu Metal segundo a Spin Magazine

nu metal

A revista Spin organizou um ranking com as 30 músicas que considera mais simbólicas do Nu Metal. Haverá contestações, é claro – muita gente nem relaciona algumas dessas bandas ao estilo. Mas reclamem com eles, apenas estamos reproduzindo as escolhas.

30. Rage Against The Machine – “Bulls On Parade”
29. Skrape – “Waste”
28. Mudvayne – “Dig”
27. Puddle Of Mudd – “Control”
26. Staind – “Mudshovel”
25. Spineshank – “New Disease”
24. Taproot – “Poem”
23. Kittie – “Brackish”
22. Soulfly – “Bleed”
21. Sevendust – “Black”
20. (hed)p.e. – “Bartender”
19. The Union Underground – “Across The Nation”
18. Adema – “Giving In”
17. Coal Chamber – “Loco”
16. Static-X – “Push It”
15. Saliva – “Click Click Boom”
14. Deadsy – “The Key To Gramercy Park”
13. Crazy Town – “Butterfly”
12. Drowning Pool – “Bodies”
11. Slipknot – “Wait And Bleed”
10. Orgy – “Stitches”
09. Powerman 5000 – “When Worlds Collide”
08. P.O.D. – “Boom”
07. Limp Bizkit – “Break Stuff”
06. Disturbed – “Down With The Sickness”
05. Linkin Park – “In The End”
04. System Of A Down – “Chop Suey!”
03. Deftones – “My Own Summer (Shove It)”
02. Papa Roach – “Last Resort”
01. Korn – “Freak On A Leash“

Wishbone Ash anuncia novo guitarrista

wishbone ash

O Wishbone Ash anunciou a saída do guitarrista Muddy Manninen. Ele será substituído por Mark Abrahams. O primeiro show da nova formação acontece dia 9 de junho, durante o Sweden Rock Festival.

Corey Taylor fala sobre abusos sofridos na infância e tentativa de suicídio em série televisiva

corey therapist

Em programa que vai ao ar na próxima segunda-feira, na América do Norte, Corey Taylor participa da série The Therapist, do canal Viceland. No programa, o vocalista do Slipknot e Stone Sour fala sobre seus traumas e conflitos com o doutor Siri Sat Sam Singh. O trailer pode ser conferido aqui.

50 músicas que definiram o Verão do Amor, segundo a revista Uncut

summer love

O Summer Of Love foi um movimento que teve início em 1967, quando artistas e lideranças políticas se juntaram ao levante social contra a Guerra do Vietnã. Como consequência, a contracultura se estabeleceu, oferecendo estilos alternativos de vida e pensamento. Em sua próxima edição, a revista Uncut escolheu 50 músicas que representam o momento histórico. São elas:

1. The Seeds – Can’t Seem To Make You Mine
2. Donovan – Sunshine Superman
3. The Mamas And The Papas – Strange Young Girls
4. Sonny & Cher – Little Man
5. The Electric Prunes – I Had Too Much To Dream Last Night
6. Buffalo Springfield – For What It’s Worth
7. The Doors – Light My Fire
8. The Youngbloods – Get Together
9. The Beatles – Strawberry Fields Forever
10. The 13th Floor Elevators – I’ve Got Levitation
11. The Moving Sidewalks – 99th Floor
12. Soft Machine – Feelin’ Reelin’ Squeelin’
13. Jefferson Airplane – White Rabbit
14. Big Brother And Holding Company – Down On Me
15. Grateful Dead – Viola Lee Blues
16. The Move – I Can Hear The Grass Grow
17. The Purple Gang – Granny Takes A Trip
18. Cream – Tales Of Brave Ulysses
19. Procol Harum – A Whiter Shade Of Pale
20. Scott McKenzie – San Francisco
21. Strawberry Alarm Clock – Incense And Peppermints
22. The Third Bardo – I’m Five Years Ahead Of My Time
23. Traffic – Paper Sun
24. The Attack – Colour Of My Mind
25. Moby Grape – Omaha
26. Sly & The Family Stone – Underdog
27. The Association – Windy
28. The Beach Boys – Heroes And Villains
29. Bee Gees – Every Christian Lion Hearted Man Will Show You
30. The Byrds – Lady Friend
31. Incredible String Band – Way Back In The 1960’s
32. Pearls Before Swine – Morning Song
33. Keith West – Excerpts From A Teenage Opera
34. Eric Burdon & The Animals – San Francisco Night
35. The Jimi Hendrix Experience – Burning Of The Midnight Lamp
36. Pink Floyd – Interstellar Overdrive
37. The Rolling Stones – We Love You
38. Small Faces – Itchycoo Park
39. Vanilla Fudge – You Keep Me Hangin’ On
40. Chocolate Watch Band – Are You Gonna Be There (At The Love-In)
41. The Family – Scene Through The Eye Of A Lens
42. Tomorrow – Revolution
43. The Who – I Can See For Miles
44. Bonzo Dog Doo-Dah Band – Death Cab For Cutie
45. Love – A House Is Not A Motel
46. The Pretty Things – Defecting Grey
47. Fifty Foot Hose – Red The Sign Post
48. Country Joe & The Fish – I-Feel-Like-I’m-Fixin’-To-Die-Rag
49. The Charlatans – Alabama Bound
50. The Smoke – My Friend Jack

Publipost: Khorium divulga single “Quem Vai Pagar”

khorium

Aliando peso, groove, riffs de guitarra metal com batidas rap e baixo funk, Khorium é uma banda brasileira de metal crossover, com letras ácidas, expressando uma visão crítica sobre a situação atual do Brasil e do mundo. A música “Quem Vai Pagar” está disponível nas plataformas de streaming e downloads. Seu videoclipe pode ser conferido abaixo. Mais informações no Facebook oficial do grupo.

Bon Jovi lança novo livro de fotos e entrevistas

bon jovi

O Bon Jovi está lançando um novo livro. Tal qual o título de seu álbum mais recente, This House Is Not For Sale reúne 150 fotos da última turnê. As imagens foram registradas por David Bergman, fotógrafo oficial da banda. Completam a obra entrevistas com todos os integrantes atuais do grupo, realizadas pelo jornalista Ray Waddell. As vendas acontecem nos formatos mostrados acima.

Aerosmith, uma banda caça-níquel (literalmente)

aerosmith

A Zynga está lançando Hit It Rich!, simulador de caça-níquel temático do Aerosmith. O game estará disponível, para iPhones, iPads e Google Play em Androids. A trilha sonora contará com clássicos da banda. Obviamente, se trata de um fantasy game, ou seja, arrume outro boteco para sustentar seu vício.

“Não gosto do meu irmão e não quero estar no mesmo ambiente que ele”

chris robinson

Em aparição no The Howard Stern Show, o vocalista Chris Robinson falou sobre a relação com seu irmão, Rich. O guitarrista e parte dos antigos membros do The Black Crowes se reuniram usando o nome The Magpie Salute. “Vou ser direto: não gosto do meu irmão, não me dou bem e não quero estar no mesmo ambiente que ele, assim como não quero fazer música com ninguém daquela banda”, declarou o cantor, que está lançando Barefoot In The Head, novo trabalho do The Brotherhood, seu grupo atual.

Em nova turnê, Morbid Angel só tocará material gravado com Steve Tucker nos vocais

morbid angel

O baixista e vocalista Steve Tucker revelou ao Orlando Weekly que o Morbid Angel não deve tocar material dos discos gravados com David Vincent em sua próxima turnê. Ou seja, nada dos quatro primeiros álbuns. “Faremos uma ou duas músicas novas. Fora isso, só o que Trey (Azagthoth, guitarrista) e eu gravamos. Nem todos os clássicos estarão presentes, mas temos os nossos”.

Filho de Glenn Frey o substitui no Eagles

eagles

Deacon, filho do guitarrista Glenn Frey, o substituirá nas apresentações que o Eagles realizará ainda este ano. Anteriormente, a banda havia comentado que esta seria a única forma de seguir as atividades sem desrespeitar a memória do antigo colega, falecido em janeiro de 2016. O grupo já tem dois compromissos agendados para julho, em festivais americanos. Deacon tem 23 anos.