Ao vivo do L.A. Guns em 1989 ganha lançamento

laguns

Um show do L.A. Guns em Boston, no ano de 1989, ganhará lançamento nos próximos dias. O encarte do CD conta com notas de rodapé escritas pelo vocalista Phil Lewis. O tracklist traz:

01. Kiss My Love Goodbye
02. Wild Obsession
03. Dirty Love
04. Slap In The Face
05. Electric Gypsy
06. Rip And Tear
07. Never Enough
08. Malaria
09. Sex Action
10. Bitch Is Back
11. 17 Crash
12. I Wanna Be Your Man
13. One More Reason
14. Rock Candy
15. Some Lie For Love

The Answer anuncia título de novo álbum

theanswer

O The Answer revelou que seu novo disco se chamará Raise A Little Hell. O trabalho será lançado no dia 6 de março. É o quinto full-lenght dos norte irlandeses.

Hoje, 24 de novembro

- O baterista Pete Best (The Beatles) completa 73 anos.

- O baterista Bev Bevan (Black Sabbath, Electric Light Orchestra) completa 70 anos.

- Há 51 anos Lee Harvey Oswald, acusado de matar o presidente norte-americano John Kennedy, era assassinado por Jack Ruby no momento em que seria transferido para uma cadeia pública. O atentado foi transmitido ao vivo pela televisão.

- O guitarrista Russ Parrish (Fight, Steel Panther) completa 44 anos.

- Há 23 anos o vocalista Freddie Mercury (Queen) morria, vítima de complicações relacionadas ao vírus HIV.

- Há 23 anos o baterista Eric Carr (KISS) morria, após batalha contra um câncer em uma das artérias do coração.

- Há 21 anos o guitarrista Albert Collins morria graças a complicações causadas por um câncer no pulmão.

- Há 16 anos o Metallica lançava o álbum Garage Inc.

- Há 11 anos o Mötley Crüe anunciava oficialmente a nova reunião de sua formação clássica.

Jimmy Page joga culpa de não reunião do Led Zeppelin para “ele”

President Obama Attends Kennedy Center Honors Reception

Durante participação no Ellen DeGeneres Show, Jimmy Page foi, mais uma vez, questionado sobre os motivos que impedem uma reunião do Led Zeppelin. “Bom, não sei. Ele está se tornando cada vez mais difícil, não? Acho que perguntou ao cara errado. Amo tocar a música do Led Zeppelin, isso e tudo que tenho a dizer”.

Baterista explica agradecimento a ex-membros em novo álbum do Exodus

tomhunting

O baterista Tom Hunting explicou ao Music Examiner os agradecimentos no encarte de Blood In, Blood Out, novo disco do Exodus. A banda faz menção ao vocalista Rob Dukes e o guitarrista Rick Hunolt, antigos membros. “Ficamos felizes com o trabalho de Dukes. Tivemos um impasse na hora de fazer este, e ele precisava ser especial, por ser o número 10. Mas amamos tudo que criamos com ele. Já Rick representa grande parte da nossa história”.

Novo clipe do AC/DC

“Rock Or Bust”, faixa-título do novo álbum.

Novo clipe do Spiders & Snakes

“Kawasaki City”, do álbum Year Of The Snake.

Capa e tracklist do novo álbum do Space Vacation

spacevacation

Cosmic Vanguard sai no dia 5 de dezembro com as seguintes faixas:

01. On Your Feet
02. More Is More
03. Rolling Thunder
04. Cosmic Vanguard
05. Get Down
06. The Living Damned
07. Say My Name
08. Eye To Eye
09. Witch Wizard
10. Battle Jacket
11. Land Of Steel

Os pensadores do Rock

“Não se pode resgatar o passado. Tivemos grandes momentos com Sebastian Bach e Rob Affuso, me orgulho muito do que fizemos. Não desejo mal a ninguém, quero que todos façam muito sucesso. O negócio é que as pessoas linkaram aquela formação com momentos de suas juventudes ou infâncias e esperam que, com a nossa volta, tudo aquilo retorne junto. E não vai acontecer”.
Dave “Snake” Sabo (http://www.vandohalen.com.br/guitarrista-nao-acha-que-volta-de-formacao-classica-do-skid-row-traria-o-passado-de-volta/)

“Quando me juntei ao Iron Maiden, muitas pessoas ficaram ressentidas e passaram a me odiar. Culpavam-me por Bruce ter saído. É o caso clássico da namorada que se vai e você precisa achar um responsável. Fãs old school não me queriam ali. Ao mesmo tempo, muitas pessoas conheceram a banda comigo nos vocais. Ao mesmo tempo, hoje vários me reconhecem pelo que fizemos. Foi um momento diferente, com o grupo buscando uma sonoridade mais progressiva e obscura, que se encaixou muito bem com meu estilo”.
Blaze Bayley (http://www.vandohalen.com.br/muitas-pessoas-me-odiavam-por-eu-estar-no-iron-maiden/)

“Sou autodidata, me desenvolvi de um modo diferente. Interpretava o que ouvia nos discos, sem um professor para me guiar. Isso me fez desenvolver uma abordagem diferente. Também é importante lembrar que tenho raízes cubanas. Incorporei o ritmo latino ao Rock, além de elementos do Funk e do Jazz, pois adoro esses estilos. Não me limito”.
Dave Lombardo (http://www.vandohalen.com.br/dave-lombardo-explica-seu-estilo-unico/)

“É muito difícil, você precisa querer de verdade. Tem que estar disposto a sacrificar quase tudo na vida. Fazendo isso, chega a 10% de chances de ter sorte e chegar a algum lugar. Coloque coração e alma, dê tudo de si”.
Vinnie Paul (http://www.vandohalen.com.br/sucesso-demanda-sacrificio/)

“Os anos 1990 nos forçaram a mudar. O Cinderella não acabou porque brigamos ou passamos a nos odiar. Simplesmente não conseguíamos mais nada como banda”.
Tom Keifer (http://www.vandohalen.com.br/tom-keifer-explica-porque-o-cinderella-acabou-nos-anos-1990/)

“Não há nada como um bom show de Rock and Roll. É maravilhoso quando tudo dá certo e se está no clima. Para mim, é melhor que sexo”.
Ozzy Osbourne (http://www.vandohalen.com.br/ozzy-prefere-show-a-dar-uma/)

“Quando me juntei ao Fates Warning, todos achavam legais aqueles gritinhos estridentes. Com o tempo, evolui como cantor e passei a achar bobo. Não fazia mais sentido. A alma é mais importante que o alcance. Minha voz parece ter concordado comigo. Gosto de como ela é hoje”.
Ray Alder (http://www.vandohalen.com.br/vocalista-do-fates-warning-considera-gritinhos-uma-bobeira/)

Scott Ian soube de tentativa de suicídio da mãe ao fazer biografia

scottiananthraxsonisphere2014_638

Durante participação no Sixx Sense, de Nikki Sixx, Scott Ian revelou ter descoberto durante o processo de composição da sua biografia, I’m The Man, que sua mãe tentou suicídio em 1975. A informação foi obtida pelo coautor do livro, Jon Wiederhorn, durante entre vista com os pais do músico. “Ela tentou pular do carro, meu pai teve que socá-la para nocautear e a levar ao hospital. Soube disso meses atrás. Fiquei um pouco chateado, mas não vou brigar por algo que aconteceu quase quarenta anos atrás. Foi uma fase difícil, ela tinha perdido a mãe, passava pelo divórcio, bebia e usava drogas. Tenho lembranças dessa época, só não imaginava que tinha chegado a este ponto”.

Wind Rose anuncia título de próximo disco

windrose

Os italianos do Wind Rose assinaram contrato com a Scarlet Records para o lançamento do seu novo álbum. Wardens Of The West Wind sai no dia 3 de fevereiro. O trabalho marca a estreia do baixista Cristiano Bertocchi (Labyrinth, Vision Divine).

Yngwie Malmsteen: 15 anos de Alchemy

Yngwie J. Malmsteen - Alchemy - Front

(lançado em 23 de novembro de 1999)

Após o álbum Facing The Animal, cuja turnê rendeu um álbum ao vivo gravado no Brasil, Yngwie Malmsteen se cansou da fórmula que vinha adotando. Afinal de contas, seus discos ainda traziam muito do virtuosismo, mas também tentavam se adaptar a questões mercadológicas, deixando espaço para músicas que pudessem render veiculações na mídia. A primeira medida foi recuperar o nome Rising Force, que o acompanhou nos primórdios da carreira solo. Depois, montou um novo time de feras, tendo como ponto principal o retorno do vocalista Mark Boals, que registrou o clássico Trilogy, no ano de 1986. Outro acréscimo foi o exímio baterista John Macaluso, um dos melhores que o egocêntrico guitarrista já teve na função.

Apesar de não ter a inspiração de seus primeiros e definitivos trabalhos, Alchemy resgata a estrutura que Yngwie usava aquela época. Músicas com uma pegada mais neoclássica tomam conta do play, quase que eliminando por completo a abordagem Hard Rock que pairava no ar desde o final dos anos 1980. O ponto negativo ficou por conta da produção, algo que se tornaria uma constante. Nunca mais Malmsteen acertou neste ponto. Entre as músicas, destaque para a trinca de abertura, com a instrumental “Blitzkrieg”, “Leonardo” e “Playing With Fire” – esta última sobra das sessões de Facing The Animal. Também não da para deixar de conferir “Wield My Sword” e notar em que fonte a geração Power Metal europeia bebeu bastante.

Para os fãs de pegadas progressivas, vale a saideira, com a longa “Asylum”, dividida em três atos. Alchemy teve boa repercussão no Japão, chegando ao 11º lugar na parada. Pode ser considerado o último trabalho com real qualidade na carreira e Yngwie Malmsteen, que desde então vem lançando discos cada vez mais ridículos, além de dar espetáculos de estrelismo exacerbado por onde passa. Tudo se tornou pior, especialmente depois que decidiu assumir também a função de vocalista, para a qual não tem a menor aptidão. Ainda mais em um posto que já foi de figurões como Jeff Scott Soto, Mark Boals e Joe Lynn Turner, só para ficar nos mais famosos.

Yngwie Malmsteen (guitarra)
Mark Boals (vocais)
Barry Dunaway (baixo)
Mats Olausson (teclados)
John Macaluso (bateria)

01. Blitzkrieg
02. Leonardo
03. Playing With Fire
04. The Stand
05. Wield My Sword
06. Blue
07. Legion Of The Damned
08. Deamon Dance
09. Hangar 18, Area 51
10. Voodoo Nights
11. Asylum (I. Asylum; II. Sky Euphoria; III. Quantum Leap)

yngwiemalmsteenalchemyCapa da reedição