Hoje, 16 de janeiro

– O guitarrista Bob Kulick (KISS, W.A.S.P.) completa 67 anos.

– Há 60 anos era inaugurado em Liverpool o The Cavern Club, espaço que entrou para a história por ter sido local de algumas das primeiras apresentações dos Beatles.

– O guitarrista Rich Ward (Fozzy, Stuck Mojo, Adrenaline Mob) completa 48 anos.

– O vocalista e guitarrista Brent Hinds (Mastodon) completa 43 anos.

– Há 38 anos Gregg Allman e Cher assinavam o divórcio.

– Há 29 anos George Harrison assumia o topo da parada norte-americana com “Got My Mind Set On You”.

– Há 25 anos Eric Clapton registrava seu MTV Unplugged.

– Há 16 anos o Black Label Society lançava o álbum Alcohol Fueled Brewtality.

“Nos livramos do câncer”, diz vocalista do Ratt

Em entrevista ao Star Radio Rock Show, o vocalista Stephen Pearcy voltou a comentar a vitória que os músicos da banda original obtiveram sobre Bobby Blotzer. O baterista passou o último ano se apresentando com uma banda de músicos contratados, mas usando o nome original. “Chegou a um ponto que estava prejudicando nosso catálogo, reputação e integridade. Nos livramos do câncer. Havia se tornado algo nonsense. Estamos de volta e vamos chutar traseiros”.

Livro da mãe de Steven Adler será lançado

steven adler

Após muita espera, o livro escrito por Deanna, mãe do baterista Steven Adler, será lançado no dia 24 de janeiro. Sweet Child O Mine: How I Lost My Son To Guns N’ Roses conta como o músico trocou a fama e glória por um caminho de autodestruição pela visão de sua genitora. A obra também volta à infância de Steven, que começou a tomar drogas aos 11 anos e foi expulso de casa assim que atingiu a maioridade. Por hora, a publicação só estará disponível na língua inglesa.

Box-set reúne a história de Beavis e Butt-Head em 12 DVDs

beavis butt-head

A MTV e a Paramount confirmaram para 14 de fevereiro o lançamento de Beavis And Butt-Head: The Complete Collection. A caixa reúne, em 12 DVDs, todos os episódios da série, incluindo a temporada de retorno, veiculada em 2011. De bônus, o filme Beavis And Butt-Head Do America, além de aparições no VMAs, promos e o especial de Ação de Graças com o VJ Kurt Loder.

Os pensadores do Rock

“Idade é um estado da mente. É preciso focar no que realmente acredita. Ao fazer o que gosta, automaticamente se permanece jovem. Assim que começar a pensar como um velho, você envelhece. É possível fazer o que quiser até os oitenta, noventa anos, viver uma boa vida”.
Mille Petrozza (http://www.vandohalen.com.br/lider-do-kreator-encarna-espirito-de-musica-do-chaves/)

“É como o rádio, você tem no seu bolso. Acho ótimo, temos que nos adaptar. Pessoalmente, ainda amo o vinil, gosto de segurar o produto. Mas considero os aplicativos um bom complemento. Podem tirar um pouco da diversão de lançar algo, pois assim que sai, já está em todos os lugares. Quando era jovem, precisava esperar o disco chegar à loja, era um sentimento mágico tê-lo nas mãos. Mas hoje é diferente”.
Anders Fridén (http://www.vandohalen.com.br/in-flames-abraca-era-dos-streamings/)

“Seria um sacrilégio fazer um disco do Exodus sem Gary Holt”.
Steve “Zetro” Souza (http://www.vandohalen.com.br/seria-um-sacrilegio-fazer-um-disco-do-exodus-sem-gary-holt/)

“Em termos musicais, obviamente, não é o mesmo Amon Amarth de vinte anos atrás. Cada vez mais nos tornamos um grupo de Heavy Metal tradicional. Crescemos ouvindo Iron Maiden, Judas Priest, Accept… Só depois descobrimos o Death Metal. Talvez estejamos cada vez mais voltando ao que escutávamos na juventude. Mas não é nada planejado, não tentamos ser comerciais. Apenas escrevemos o que vem do coração”.
Olavi Mikkonen (http://www.vandohalen.com.br/guitarrista-refuta-ideia-de-o-amon-amarth-ter-se-tornado-mainstream/)

“Há momentos em que estou feliz, outros nem tanto. Sou humano a maior parte do tempo. Música é terapia para mim. Busco inspiração para as letras em pensamentos loucos. Outras pessoas leem e se identificam, o que faz com que me sinta bem. Neste álbum, canto na maior parte do tempo sobre a humanidade. Estamos nesse planeta em um espaço de tempo tão curto e achamos que temos algum controle sobre as coisas que acontecem nele, quando não é verdade. Trata-se de um olhar pessimista, mas no fim, sempre acabo ficando otimista, de alguma forma”.
James Hetfield (http://www.vandohalen.com.br/musica-e-terapia-para-mim/)

“Tive a sorte de tocar com grandes músicos. Cada dia é uma nova experiência com Kiko Loureiro. Seu conhecimento é profundo. Chris Poland é um incrível jazzista, mas praticamente precisei ensiná-lo a tocar Metal, pois não conhecida o estilo. Marty Friedman era mais familiarizado, além de ter influências orientais. Kiko sabe tocar Metal, Bossa Nova, Clássico, Flamenco… As possibilidades são infinitas. Acredito que isso ficou muito evidente no novo álbum. O nível aumentou muito em comparação ao anterior”.
Dave Mustaine (http://www.vandohalen.com.br/cada-dia-e-uma-experiencia-nova-com-kiko/)

“Quando começamos, gêneros não eram importantes, o Rock era mais abrangente. Diferentes bandas faziam coisas diferentes e estava tudo certo. Depois, a mentalidade mercadológica se fortaleceu, tudo começou a ser colocado em pequenas caixas. Era uma técnica de venda. Ser comparado ao Mötley Crüe, francamente, era um insulto”.
Geoff Tate (http://www.vandohalen.com.br/ser-comparado-ao-motley-crue-era-um-insulto/)

Black Mirrors lança EP

black mirrors

Funky Queen, EP da banda belga de Blues/Garage Rock, sai no dia 3 de março, com as seguintes faixas:

01. Funky Queen
02. Kick Out The Jams (MC5 cover)
03. The Mess
04. Canard Vengeur Masqué

Resenha: Grave Digger – Healed By Metal [2017]

digger healed

Um mérito que não se pode tirar do Grave Digger é a capacidade de soar extremamente linear a cada novo lançamento. A banda dificilmente fará um álbum ruim. O problema é que, quando não oferece algo especial, também não consegue escapar do marasmo, da acomodação em uma fórmula simples e direta. A grande novidade de Healed By Metal é o tecladista Marcus Kniep, substituindo o longevo H.P. Katzenburg. De resto, temos o Power Metal oitentista com toques épicos que transformou os comandados de Chris Boltendahl em referência no cenário. Os músicos são do ramo e o guitarrista Axel Ritt oferece sua melhor performance desde que passou a fazer parte do lineup. Portanto, quem é fã de carteirinha não precisa ter medo ao conferir.

A faixa-título traz uma saudável influência do Rock de arena, com seu refrão simples e melodia daquelas que a gente decora na primeira escutada. Outros destaques vão para o truezismo caricato, porém eficiente de “When The Night Falls”, a apoteótica “Call For War” e os belos riffs e solos de “Kill Ritual”. Em vários momentos temos a sensação de déjà-vu. De qualquer modo, sabemos ser isso que boa parte dos ouvintes querem ao escutar um disco de uma banda do gênero. Ao menos ninguém pode negar que o Grave Digger tem personalidade, ao contrário de outros colegas de cena. Healed By Metal não é o que de melhor os alemães fizeram, assim como está longe de ser o pior. Recomendado para os fanáticos.

Nota 6,5

Chris Boltendahl (vocais)
Axel Ritt (guitarra)
Jens Becker (baixo)
Stefan Arnold (bateria)
Marcus Kniep (teclados)

01. Healed By Metal
02. When Night Falls
03. Lawbreaker
04. Forever Free
05. Call For War
06. Ten Commandments Of Metal
07. The Hangman’s Eye
08. Kill Ritual
09. Hallelujah
10. Laughing With The Dead

digger healed

Ouça Lita Ford tocando “The Lemon Song” com o Lez Zeppelin

lita zeppelin

A versão faz parte da compilação She Rocks Vol. 1.

Confira uma série de clipes lançados esta semana

Novo clipe do Iron Reagan

“Bleed The Fifth”, do álbum Crossover Ministry.

Novo clipe do Battle Beast

“Familiar Hell”, do álbum Bringer Of Pain.

Novo clipe do KXM

“Scatterbrain”, faixa-título do segundo álbum do projeto reunindo Dug Pinnick (King’s X), George Lynch (Dokken, Lynch Mob) e Ray Luzier (Korn).

Novo clipe de Mike Tramp

“Coming Home”, do álbum Maybe Tomorrow.

Novo clipe do Beyond The Black

“Night Will Fade”, do álbum Lost In Forever.

Final Drive lança novo álbum em fevereiro

final drive

Dig Deeper, novo álbum dos thrashers norte-americanos, sai no dia 3 de fevereiro, com as seguintes faixas:

01. This Is How
02. Built To Break
03. The Last Time
04. Six Feet Down
05. Want It All
06. Life Decided
07. Follow The Curse
08. Beneath Us
09. Of A Killer
10. Black Out

Detalhes do sétimo disco do White Willow

white willow

Future Hopes, sétimo álbum da banda norueguesa de Prog Metal, sai no dia 31 de março, em CD, LP e formato digital. O tracklist conta com as seguintes faixas:

01. Future Hopes
02. Silver And Gold
03. In Dim Days
04. Where There Was Sea There Is Abyss
05. A Scarred View
06. Animal Magnetism (exclusiva CD/digital)
07. Damnation Valley (exclusiva CD/digital)

Blaze: 15 anos de Tenth Dimension

blaze tenth

(lançado em 15 de janeiro de 2002)

Blaze Bayley estava condenado desde o início de sua carreira solo, fosse como fosse. O álbum Silicon Messiah, apesar de excelente, foi quase que completamente ignorado por parte do público, que o culpou pelo fracasso do Iron Maiden na segunda metade dos anos 1990, mesmo Steve Harris sendo o dono da empreitada e os tempos não sendo nada favorável para o estilo praticado pela banda. Mesmo assim, sua qualidade foi reconhecida o suficiente para ganhar o direito a uma continuação. A ideia do dono da banda – e sim, nos primeiros discos existia Blaze, a banda – era criar algo conceitual. Tenth Dimension acabou o sendo, porém, apenas em partes. Algumas ideias seriam aplicadas posteriormente em trabalhos do vocalista, como o mais recente (à época em que esse texto foi escrito), Infinite Entanglement.

A sonoridade é Heavy Metal na melhor tradição britânica. Sons como “Kill And Destroy”, a faixa-título e “Speed Of Light” passaram a figurar entre as preferidas dos fãs e aparecem até hoje nos setlists de shows. Outros destaques vão para “Leap Of Faith” e “Meant To Be”. Nos bastidores os choques de ideias entre Blaze e os músicos já começavam. Tanto que, após a turnê, que resultou no álbum ao vivo As Live As It Gets, o baixista Rob Naylor e o baterista Jeff Singer acabariam deixando o grupo. Era o começo de uma crise que acabaria implodindo o trabalho na sequência. Mesmo assim, vale exaltar os registros deixados pelo quinteto. Se não fizeram sucesso, entregaram música muito acima da média.

Blaze Bayley (vocais)
Steve Wray (guitarra)
John Slater (guitarra)
Rob Naylor (baixo)
Jeff Singer (bateria)

01. Forgotten Future
02. Kill and Destroy
03. End Dream
04. The Tenth Dimension
05. Nothing Will Stop Me
06. Leap of Faith
07. The Truth Revealed
08. Meant to Be
09. Land of the Blind
10. Stealing Time
11. Speed of Light
12. Stranger to the Light

blaze tenth